Universidade do Oeste Paulista

Área do Aluno/Professor

Área do
Aluno/Professor

INFORME CORRETAMENTE SEU RA/MATRÍCULA

ENCONTRE SEU CURSO
FAÇA UMA BUSCA NO SITE
Sua opinião é muito importante. Avalie a página de notícias.
11/10/2017

Trote do bem resulta em ajuda para asilo de Álvares Machado

Arrecadação de alimentos na recepção aos calouros promoveu interação acadêmica e estímulo à formação cidadã

Foto: João Paulo Barbosa Trote do bem resulta em ajuda para asilo de Álvares Machado
Quadro produzido pelos alunos que participaram da ação solidária

Seguindo o histórico da Unoeste, uma das primeiras instituições brasileiras a estimular alternativas criativas ao trote violento desde meados dos anos 90, a Faculdade de Artes, Ciências, Letras e Educação de Presidente Prudente (Faclepp) atendeu ao apelo da Pró-reitoria de Extensão e Ação Comunitária (Proext) e promoveu o “Trote do Bem: deixe a sua marca”, na recepção aos alunos ingressantes neste segundo semestre. Na ação extensiva foram arrecadados alimentos, entregues na manhã desta quarta-feira (11) para o Lar dos Idosos de Álvares Machado.

Conforme a diretora da Faclepp, Dra. Maria Helena Pereira Mirante, a realização do trote solidário atendeu o objetivo de promover a interação entre calouros e veteranos; servindo também de estímulo à formação cidadã, mediante a prática de solidariedade. Conta que a ideia foi do professor Josué Pantaleão da Silva, que leciona no curso de Artes Visuais. Logo na segunda semana de aula de agosto ocorreu a mobilização dos alunos, em um momento de artes e música, com o envolvimento do curso de Licenciatura em Música.

Uma tela em branco foi disponibilizada para cada aluno doador deixar sua marca de mãos ou pequenos desenhos e algumas palavras. No trote foram arrecadados 60 kg de arroz, 20 kg de feijão, óleo, café e açúcar. “Uma excelente contribuição para nós”, enfatizou a gestora do asilo Fátima Rodrigues Pinto da Silva. Afirmação sustentada pela cozinheira Célia Fernandes: “ajuda que que chegou em boa hora e que garante pelo menos um mês do arroz nas refeições”, disse explicando que o consumo médio do produto é de 2 kg por dia.

“Eles [idosos] comem pouco e, além do arroz e feijão, tem mistura”, comentou. São 16 internos em regime residencial, para os quais são servidas cinco refeições por dia: café da manhã, almoço, café da tarde, janta e ceia. O asilo sobrevive com dificuldades, mantido em grande parte por ações voluntárias, entre as quais está a contribuição permanente da loja maçônica Luz e Perfeição. Por intervenção de Ana Lúcia Mauro, do Clube das Acácias (o braço feminino da maçonaria), foi acertado com o professor Pantaleão a ajuda ao lar de idosos.

Administrado pelo Centro de Assistência Social, Cultural e Lazer (Centrascel), composto por diretores voluntários, o asilo abriga idosos em situação de risco pessoal e social. São homens e mulheres que contribuem com 70% da aposentadoria ou Benefício de Prestação Continuada (BPC) de apenas um salário mínimo, recebidos da previdência social. Além de moradia e alimentação, há complexo atendimento de saúde, atividades ocupacionais e de lazer. Os problemas de saúde são os mais diversos, incluindo doenças crônicas como hipertensão, diabetes e artrose. Então, as despesas para manutenção do asilo são altas.

GALERIA DE FOTOS

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste


TODAS AS NOTÍCIAS
Alguma mensagem