CAMPUS:
Presidente Prudente Jaú
Telefone 0800 771 5533

Você está em: Notícias

Eventos de Odontologia abordam tendências da área

Com início na segunda-feira (8), congresso, jornada e simpósio reúnem pesquisadores, docentes, acadêmicos e alunos de pós-graduação


email facebook twitter whatsapp

Foto: Gabriela Oliveira Eventos de Odontologia abordam tendências da área
Minicursos de cirurgia e dentística integram ampla programação oferecida aos participantes

“As mudanças e transformações na área odontológica fazem com que o curso de Odontologia da Unoeste proporcione momentos de atualização ligados aos assuntos contemporâneos”. A afirmação é da coordenadora da graduação da universidade, Claudia de Oliveira Lima Coelho, e justifica a programação do 23º Congresso de Odontologia, da 29ª Jornada Acadêmica e do 1º Simpósio de Pós-graduação em Odontologia da instituição. Realizadas simultaneamente, as atividades tiveram início na segunda-feira (8) e terminam nesta quarta (10).
 
Com diversidade de temas, o cronograma conta com sete palestras, dois minicursos, além da apresentação de trabalhos e defesas de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC). “Depois que uma mente se abre, ela nunca mais se retrai, possuindo uma carência constante pelo conhecimento. Acredito que essa curiosidade e a busca pelo novo motivaram a participação expressiva dos acadêmicos e dos alunos pós-graduação nessas iniciativas”, pontua Claudia.
 
O ciclo de palestras teve início na terça-feira (9), com o Dr. Michel Reis Messora, professor da Fundação Odontológica de Ribeirão Preto (SP), da Universidade de São Paulo (Forp/USP). Na ocasião, abordou o tema “Fibrina rica em plaquetas e leucócitos (L-PRF) – protocolos e aplicações clínicas na periodontia e implantodontia”. Segundo ele, a L-PRF consiste em agregados plaquetários de segunda geração que podem potencializar diversos tipos de procedimentos realizados nesses dois campos da odontologia.
 
“Discutimos sobre o uso da fibrina rica em plaquetas e leucócitos em procedimentos como o levantamento sem maxilar e a melhora da osseointegração dos implantes dentários para a reconstrução dos rebordos alveolares e a preservação dos alvéolos de extração”, pontua Messora. Afirmou, ainda, que a L-PRF pode melhorar a cicatrização óssea e aprimorar os resultados que se têm com a utilização de biomateriais. “Na periodontia, a fibrina rica em plaquetas e leucócitos é uma alternativa para os recobrimentos radiculares e para os tratamentos de defeitos infraósseos e de lesões de bifurcação”, afirma o pesquisador.
 
Para Messora, a relevância dessas abordagens se dá por vários aspectos. “Estamos falando de materiais de baixo custo e de fácil obtenção. Outro ponto importante é que essa técnica é relativamente simples e pode melhorar muito o desempenho dos procedimentos clínicos. Facilitando, por exemplo, a colação de implantes dentários num período mais precoce e garantindo uma formação óssea de maior qualidade. Além disso, a L-PRF pode substituir técnicas com maior morbidade e mais complicações no pós-operatório dos pacientes”, diz.
 
Quem também ministrou palestra na terça-feira (9) foi o Dr. Aljomar José Vechiato Filho, cirurgião-dentista assistente do Serviço de Odontologia Oncológica do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp). Com a temática “Preparo odontológico para o tratamento oncológico”, trouxe algumas estatísticas aos presentes: o câncer é a 2ª causa mais comum de óbitos, sendo que 6% são câncer de cabeça e pescoço. “Os acadêmicos tiveram a oportunidade de conferir que a odontologia como clínica de base tem um papel importante nos desfechos clínicos de pacientes com câncer na região da cabeça e do pescoço”, diz.
 
Vechiato Filho lembra que o tratamento oncológico tem o potencial de induzir algumas toxidades e efeitos colaterais na boca. “Podemos minimizar as complicações sistêmicas e as dificuldades locais bucais provocadas por infecção odontogênica que é muito comum”, conclui.
 
Participação – A dentista formada pela Unoeste em 2016, Andressa Restani Oliveira, é hoje aluna da 1ª turma do mestrado em Odontologia na mesma universidade. Integrante da comissão organizadora, ela se envolveu ativamente nos eventos. “Atuei no mercado por um ano e, depois resolvi me dedicar aos estudos novamente. Para mim, todas as atividades, inclusive a primeira edição do simpósio da pós-graduação em odontologia, estão sendo enriquecedoras e proporcionam uma integração diferenciada”.
 
Para a acadêmica do 10º termo, Natália Leite da Silva, o momento é de despedida. Prestes a se formar, participou das defesas dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), realizados na segunda (8) e terça-feira (9). Recorda que a sua mãe sempre lhe incentivou a fazer veterinária, tanto é que ela chegou a se formar no técnico em agropecuária. “Apesar disso, meu sonho de infância falou mais alto e ingressei na Odontologia. Sempre quis trabalhar com pessoas, principalmente com idosos e, por isso, pretendo atuar com prótese e endodontia”, conta, destacando que apesar de estar focada na apresentação do TCC, conseguiu aproveitar as outras ações nesses três dias de eventos.

GALERIA DE FOTOS

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem