CAMPUS:
Presidente Prudente Jaú
Telefone 0800 771 5533

Você está em: Notícias

Estudo amplia gerenciamento de resíduos de papel na Unoeste

Reciclagem ganha força no campus II com trabalho científico da Engenharia Ambiental e Sanitária 


email facebook twitter whatsapp

Foto: Cedida Estudo amplia gerenciamento de resíduos de papel na Unoeste
Funcionários dos setores separam os papeis, os quais são recolhidos semanalmente

A reciclagem consiste no reaproveitamento da matéria-prima de um objeto descartado, retornando-o ao ciclo de produção para ganhar nova forma e ser colocado à disposição no mercado novamente. Trata-se de uma atividade econômica, pois gera renda para milhares de famílias, e traz inúmeros benefícios ambientais, começando pela redução do lixo. O papel, por exemplo, é um dos produtos mais utilizados no cotidiano das residências, agora, imagina só a quantidade que é descartada pelas empresas diariamente? No ambiente universitário esse número também é grande! Por isso, a separação e a coleta seletiva são as etapas mais importantes no processo de reciclagem de papel. Na Unoeste, essa atividade ganhou força no campus II com trabalhos científicos encabeçados por alunos do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, desde 2015.
 
A estudante Jacqueline Rodrigues dos Santos, 24, que está no último termo da graduação, foi a responsável por dar continuidade ao trabalho iniciado há 3 anos, quando um grupo de alunos, hoje já formados, implantou o Sistema de Gerenciamento de Resíduos de Papel no bloco B3, o maior prédio da universidade. Até 2015, ela explica que apenas documentos sigilosos de determinados setores eram enviados à Central de Resíduos de Papel. “Esse estudo mostrou a importância da reciclagem e desmitificou a ideia de que é difícil fazer a separação dos resíduos gerados por cada setor. E a universidade abraçou atitudes sustentáveis de uma maneira única”.
 
Com os bons resultados, Jacqueline conta que surgiu a necessidade de expandir o sistema também para os blocos B1 e B2 da instituição, foi aí que ela começou a desenvolver seu estudo, no início deste ano, com orientação da professora Leila Maria Couto Esturaro, dando continuidade no mesmo trabalho, mas adequando às características de cada bloco. Nesse processo, a acadêmica distribuiu nos setores caixas de papelão encapadas de TNT azul (cor indicativa da reciclagem de papel), e orientou os funcionários sobre como descartar os produtos. O resíduo separado passou a ser recolhido pelo setor de Limpeza semanalmente, sendo armazenado numa sala específica no B3 para posteriormente ser encaminhado para a Central de Resíduos de Papel, onde a equipe faz a triagem e a segregação na máquina, colocando nas sacolas para a venda.
 
“Com o estudo, pode-se compreender como as sazonalidades da universidade interferem na quantidade de resíduos gerados, e é fundamental entender essas particularidades. Em períodos de provas, por exemplo, temos um aumento exponencial de resíduos, mostrando a importância desse sistema, que traz não somente benefícios para o meio ambiente, como também uma receita anual, que é totalmente voltada a melhorias no campus”, explica Leila. 
 
Sobre o futuro ambiental, como cidadã e quase engenheira na área, Jacqueline acredita que ainda há muito a ser feito no mundo todo, principalmente efetivando a educação ambiental nas escolas, para que desde cedo as pessoas saibam fazer a separação dos resíduos e tenham sempre atitudes sustentáveis no dia a dia. “Esse trabalho me moldou, a cada nova descoberta, a cada conversa com os funcionários, eu entendi que todos podem fazer algo, e como futura engenheira ambiental e sanitarista, eu posso mostrar que é mais simples do que parece, não precisamos de coisas grandiosas para melhorar o meio em que vivemos, porque o que consideramos pouco, para o meio ambiente não é somente muito, mas necessário”, salienta.
 
Sustentabilidade
O trabalho de conscientização da comunidade interna sobre a utilização do papel também é realizado na universidade, por meio do projeto Reciclando o Cotidiano, o qual integra o Programa Unoeste Sustentável. O objetivo é minimizar os impactos e contribuir para o desenvolvimento sustentável.
 
 
Saiba Mais
Engenharia Ambiental e Sanitária é a profissão do presente e do futuro, entenda melhor essa área e também conheça mais no vídeo abaixo:


GALERIA DE FOTOS

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem