CAMPUS:
Telefone 0800 771 5533
Você está em: Notícias

Novas tecnologias são foco para profissional de física

Unoeste, que já possui a licenciatura na área há mais de quatro décadas, passa a ofertar o bacharelado a partir deste ano


email facebook twitter whatsapp

Foto: Divulgação Novas tecnologias são foco para profissional de física
Mercado de trabalho para bacharel é amplo e diversificado

“Seria mais fácil dizer o que o físico não poderia fazer ao ter que enumerar suas atribuições”. Essa foi a resposta que o coordenador do curso de Física da Unoeste, Cássio Fabian Sarquis de Campos, deu ao ser questionado sobre o mercado de trabalho para este profissional. A universidade, que já oferecia a licenciatura na área, agora passa a ofertar o bacharelado. Entenda as diferenças no texto abaixo.
 
De acordo com o professor, o curso de uma maneira geral visa formar um profissional que detêm conhecimentos da física clássica, até o final do século 19, e o da física moderna, do século 20. “É uma graduação que emprega os conhecimentos físicos de grandes pesquisadores do passado a fim de melhorar as condições de vida do presente através do uso de seus conhecimentos teóricos e práticos no desenvolvimento de novas tecnologias, teorias e práticas”, explica.
 
Cássio salienta que o físico licenciado tem uma formação voltada para a área da educação e pesquisa em tecnologias da educação. Já o físico bacharel é preparado quase inteiramente para a pesquisa de desenvolvimento de novas tecnologias, teorias e práticas. “O profissional formado em bacharelado pode atuar nas áreas de física de novos materiais, física da matéria condensada, física nuclear e reatores nucleares, física de partículas, astrofísica, onde se busca entender os mistérios do universo, do passado e do futuro, física médica em hospitais e clínicas onde se trabalha com radiações para tratamentos de cânceres, empresas em que a busca de solução de problemas seja necessária em curto espaço de tempo, já que o físico bem formado detém rapidez de raciocínio e se constitui um profissional sempre voltado para problemas e suas resoluções. Enfim, é um profissional que pode trabalhar em institutos de pesquisas nacionais e internacionais nos mais variados setores”, fala.
 
Durante o curso, por pertencer à área das ciências exatas, o aluno encontrará muitos conhecimentos matemáticos, sendo esses conhecimentos ótimas ferramentas para o desenvolvimento das pesquisas em física e em novas tecnologias. “Assim, durante a graduação, o estudante além de aprender uma matemática mais rica e elaborada, desenvolverá habilidades para a compreensão da matéria e universo, da evolução da vida e dos cosmos, estudos aprofundados da estrutura da matéria e da ciência que estuda o mundo microscópico como a mecânica quântica em sua real base científica e aplicações e não em meros conceitos popularmente empregados sem qualquer fundamento da mecânica quântica”, diz o coordenador.
 
A Unoeste possui o curso de Física em licenciatura desde 1976, logo, são 43 anos formando profissionais para o Brasil. De acordo com Cássio, o bacharelado na área é o primeiro e único no oeste paulista e por se tratar de uma universidade que preza em oferecer o que há de melhor a seu aluno, proporcionará um ensino com laboratórios de pesquisas específicos e equipamentos de ponta para que o curso se torne referência nesta área.
 
“O mundo não é mais o mesmo de 20 anos atrás, estamos vivendo uma época em que novos descobrimentos são anunciados todos os dias e queremos aumentar nossa contribuição neste processo através do curso de Física, uma graduação inteiramente focada na pesquisa, na ética do pesquisador e do ser humano, desenvolvendo habilidades de pensar e analisar fatos e dados”, finaliza o professor.

VestVerão
O curso de Física é um dos oferecidos no processo seletivo da Unoeste, que acontecerá no dia 25 de janeiro de 2020. As inscrições ainda podem ser feitas exclusivamente pelo site. São mais de 60 cursos presenciais em todas as áreas do conhecimento.

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem