CAMPUS:
Telefone 0800 771 5533
Você está em: Notícias

Investir em franquias pode ser uma boa opção de negócio

Assunto é o foco da 3ª Roda Produtiva do curso de Engenharia de Produção, nesta sexta-feira (1º)


email facebook twitter whatsapp

Foto: Cedida Investir em franquias pode ser uma boa opção de negócio
Mariana Moro é consultora de treinamentos e responsável pelo programa de excelência das sete marcas do grupo MoveEdu

Investir em franquias pode ser uma boa opção, pois são modelos de negócios já prontos, com imagem já construída perante o público. Dados apontam que mesmo durante a crise, o setor cresceu 7% em 2018 num comparativo com o ano anterior, com receita anual por volta de R$ 170 bilhões, conforme salienta o administrador de empresas e professor da Unoeste Rafael Hespanhol.
 
Justamente pela relevância do assunto, principalmente para quem está prestes a ingressar no mercado de trabalho, a 3ª edição do projeto Roda Produtiva, do curso de Engenharia de Produção da universidade, aborda o tema “Gestão de Operações, Suporte e Programa de Excelência: como funciona o setor de Franquias”, nesta sexta-feira (1º). Em atividade organizada por Hespanhol, alunos do 7º e 9º termos da graduação recebem Victor Torcato, coordenador de operações Microlins – MoveEdu; e Mariana Moro, consultora de treinamentos – MoveEdu.
 
“Trata-se de um setor que muitas vezes passa despercebido pelo aluno durante a graduação, então, conhecer mais sobre ele possibilita que o estudante investigue sobre esse tipo de negócio para buscar uma vaga ou até mesmo considere ingressar como empreendedor no setor. A atuação do engenheiro de produção é ampla!”, ressalta Hespanhol.
 
Segundo o docente, os convidados possuem trajetórias interessantes. “Victor tem experiência com vendas em diversos setores da economia, enquanto a Mariana mostra que o setor de negócios busca profissionais que tenham habilidades e competências relacionadas às suas funções, e não apenas um diploma específico - isso reforça o rumo certo da Unoeste em investir no desenvolvimento de habilidades e competências durante os cursos de graduação”, afirma.
Foto: Cedida Victor Torcato, coordenador de operações da Microlins
Victor Torcato, coordenador de operações da Microlins


Como consultora de treinamentos e responsável pelo programa de excelência das sete marcas do grupo MoveEdu, Mariana explica que as franqueadas devem seguir um manual de processos e gerenciamento. “Além da criação dos processos, realizamos auditorias e o acompanhamento do desempenho das unidades. Creio que essa criação, gestão e acompanhamento dos processos são bem alinhados com o curso [Engenharia de Produção]”. Torcato acrescenta que “o modelo de gestão de indicadores e de equipe, suporte ao cliente e excelência nos processos que utilizamos no dia a dia, possam contribuir aos futuros engenheiros”.
 
Roda Produtiva – Além da troca de experiências, o projeto apresenta as diversas possibilidades do mercado. A ideia, de acordo com Hespanhol, é trazer profissionais de setores distintos para apresentarem e conversarem com os alunos, contribuindo, assim, para o desenvolvimento enquanto profissionais.

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem