CAMPUS:
Telefone 0800 771 5533
Você está em: Notícias

Italiana faz intercâmbio no curso de Medicina Veterinária

Procedente da Universidade de Santiago de Compostela, na Espanha, estudante veio para ficar um ano na Unoeste


email facebook twitter whatsapp

Foto: João Paulo Barbosa Italiana faz intercâmbio no curso de Medicina Veterinária
A estudante italiana Giorgia Caddeo estudará um ano no curso de Medicina Veterinária da Unoeste

Interessada em intercâmbio num país de língua portuguesa, a estudante italiana Giorgia Caddeo veio para o Brasil por ter escolhido a Unoeste dentre as instituições de ensino superior que oferecem o curso de Medicina Veterinária, após consultas feitas pela internet. A motivação da escolha recaiu na qualidade de ensino com a oferta de práticas clínica e hospitalar, já que tem a pretensão de vir a atuar profissionalmente com cirurgia ou clínica de pequenos animais.
 
Outro fator decisivo foi ter conhecido estudantes da Unoeste que foram fazer intercâmbio na Universidade de Santiago de Compostela, no campus da cidade de Lugo, na Espanha, onde Giorgia estuda. São os casos de Mariana Carrijo dos Santos Dalefi Andrade e João Carlos dos Santos Canhada, que no final de 2016 e começo de 2017 fizeram intercâmbio acadêmico na Escola Politécnica Superior, mantida pela universidade espanhola.
 
Com as informações dos brasileiros e com as pesquisas pela internet, pode compreender a excelente reputação da Unoeste e se encantou com as possibilidades de conhecimentos práticos proporcionados pelo curso de Medicina Veterinária que agora a recebe como primeira intercambiária internacional. A questão prática é um objetivo perseguido desde que decidiu estudar na Espanha, já que na Itália os cursos estão mais comprometidos, em sua visão, com a carga teórica.
 
A compreensão de Giorgia sobre conteúdo programático, para avaliar o que pode ser mais interessante, vem especialmente de seu pai, que é secretário de escola de ensino médio. A mãe trabalha com controle de qualidade industrial de tampas para embalagens de produtos alimentícios em conservas. Sua irmã, três anos mais nova, estuda psicologia na Itália, mas irá fazer intercâmbio de um ano na Espanha. A família é de Aprilia, uma cidade perto de Roma com cerca de 90 mil habitantes. Em Lugo, de onde vem, a população também se aproxima dos 90 mil habitantes.
 
Antes de vir para a Unoeste também pesquisou sobre Presidente Prudente e entende que uma cidade com mais de 220 mil habitantes ofereça condições de bem estar social. Foi recebida pela família de Canhada, mas planeja morar nas imediações do campus II, para ficar mais perto do curso e aproveitar mais as oportunidades de atividades fora da sala de aula.
 
A diretora Gláucia Prada Kanashiro comenta que está ajustando o programa de aulas para que Giorgia possa acompanhar a rotina do Hospital Veterinário. “Estamos felizes, mas um pouco ansiosos, embora seja uma pessoa fácil de lidar e muito simpática. É a primeira vez que recebemos uma estudante estrangeira, o que reforça a contribuição do curso de Medicina Veterinária no processo de internacionalização da Unoeste, sendo que temos conseguido enviar alguns alunos para a exterior”, comenta.
 
A coordenadora Dra. Rosa Maria Barilli Nogueira avalia como importante a vinda da estudante italiana, não só pela internacionalização, mas pela troca de experiências entre estudantes, professores e funcionários. Para a coordenadora, é algo que também reforça a visibilidade da Unoeste no exterior, cujo potencial está consolidado no Brasil e que tem ultrapassado as fronteiras com maior frequência nos últimos oito anos, quando mais de 100 alunos saíram e oito estrangeiros foram recebidos.
 
Porém, os intercâmbios acadêmicos são parte da internacionalização que tem sido praticada constantemente. “A Unoeste tem apoiado a internacionalização e entendemos que devemos propiciar uma visão de mundo aos estudantes. Visão de um mundo conectado pelas tecnologias e direcionado para um desenvolvimento sustentável do nosso ambiente. A vinda da italiana Giorgia é de grande interesse e alia-se a outros projetos que temos em andamento”, diz o pró-reitor Acadêmico Dr. José Eduardo Creste.
 
“Estamos ampliando a projeção internacional da Unoeste e ratificando os esforços da mantenedora [Apec – Associação Prudentina de Educação e Cultura] e da Reitoria para projetar a universidade em outros países. Algo que vem ao encontro do trabalho das pró-reitorias e da Assessoria de Relações Interinstitucionais para que a força da Unoeste seja vista lá fora com qualidade equiparável às boas instituições estrangeiras”, diz o pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão Dr. Adilson Eduardo Guelfi.
 
Giorgia chegou nessa quarta-feira (31) ao Brasil e nesta quinta-feira (1º) manteve seus primeiros contados na Unoeste, recepcionada pela assessora de relações interinstitucionais Adiane Mitidiero, a secretária Muryel Acco e a residente no curso de Zootecnia Nádia Nóbrega, que atua como Unofriend. Além de ser conduzida em visitas a vários setores, a estudante italiana foi recebida pelo diretor geral da Apec, Dr. Augusto César de Oliveira Lima, de quem recebeu o voto institucional de boas-vindas.  Giorgia afirma que está sendo bem acolhida.
 
Foto: Erika Foglia Doutores Creste e César (em pé), Giorgia, Nádia, Adiane e Muryel
Doutores Creste e César (em pé), Giorgia, Nádia, Adiane e Muryel

Na condição de autodidata, que se valeu de conteúdos em língua portuguesa disponibilizados na internet, Giorgia compreende praticamente tudo e fala um pouco deste que está sendo o seu terceiro idioma, depois do italiano e do espanhol. O intercâmbio na Unoeste equivale ao quarto ano de estudos em medicina veterinária, durante o qual já fez intercâmbio no México, no primeiro semestre do ano passado, em Aguascalientes, cidade com cerca de 1 milhão de habitantes.
 
Adiane comenta que receber intercambiários é tão importante quanto enviar, inclusive por permitir trocas culturais aos que não têm como sair para o exterior. É também uma oportunidade de mostrar o que há de bom por aqui, com pontos fortes do país e da universidade; e outros pontos que podem melhorar, como ocorre em outros países. “São as diferenças que engradecem, que fazem sermos pessoas melhores, estudantes melhores e profissionais melhores”, pontua.

GALERIA DE FOTOS

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem