CAMPUS:
Telefone 0800 771 5533
Você está em: Notícias

Pesquisador é homenageado no Congresso Brasileiro do Algodão

Prêmio de R$ 10 mil é para ser aplicado em projeto de pesquisa submetido à associação nacional de produtores


email facebook twitter whatsapp

Foto: Cedida Pesquisador é homenageado no Congresso Brasileiro do Algodão
Dr. Fábio Rafael Echer: estudos em prol de melhorias na produção de algodão

A Associação Brasileira de Produtores de Algodão (Abrapa) concedeu ao engenheiro agrônomo Dr. Fábio Rafael Echer, pesquisador vinculado à Unoeste, o Prêmio de Melhor Trabalho de Professor Orientador. A homenagem foi prestada durante do 12º Congresso Brasileiro do Algodão, realizado de 26 a 29 de agosto em Goiânia (GO).

Nesta quarta-feira (4), após retornar de visita à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em Brasília, Echer classificou a honraria como algo muito importante, mas destacou a relevância de participação no evento de alunos do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Agronomia.

Outro apontamento de caráter especial, feito por Echer, é sobre o reconhecimento que a Unoeste conquistou junto à comunidade científica algodoeira do Brasil. “Inclusive, em nossas palestras e afins utilizamos a camisa do Grupo de Estudos do Algodão (GEA) que tem a marca da universidade”, comentou.

Foram dois pesquisadores premiados na mesma categoria e cada um recebeu R$ 10 mil. Recurso que será aplicado em projeto de pesquisa a ser submetido à Abrapa. O outro premiado foi o Dr. Tiago Zoz, da Universidade do Mato Grosso do Sul (MS), um dos estados com grande produção de algodão no país.

Os estudos de Echer têm contribuído para este segmento em todo território nacional de tal forma que esteve envolvido no congresso desde o início de sua organização há um ano e meio, na definição dos temas e escolhas dos palestrantes. Fez parte da comissão científica, proferiu palestra e coordenou um dos workshops.

Na sala temática de fisiologia do algodão foi um dos três palestrantes. Falou sobre sombreamento e encharcamento e os efeitos sobre a fisiologia, produtividade e qualidade do algodão. Os outros dois palestrantes foram Rogério Ferreira, da Basf, e Glen Ritchie, da Universidade de Tecnologia do Texas, nos Estados Unidos.

No workshop sobre produtividade e mapeamento de plantas atuou conjuntamente com seu colega pesquisador Dr. Ciro Antonio Rosolen e o Dr. Piero Antonio Rafael, ambos vinculados à Faculdade de Ciências Agronômicas do campus da Unesp em Botucatu.  

Foto: Cedida Iago Santos, Patrícia Mello, Fábio Echer, Carlos Felipe e Caroline Honorato
Iago Santos, Patrícia Mello, Fábio Echer, Carlos Felipe e Caroline Honorato


Echer esteve acompanhado de três alunos do mestrado em Agronomia na Unoeste: Carlos Felipe Cordeiro dos Santos, Caroline Honorato e Iago Fernandes dos Santos que tiveram a oportunidade de participar de um evento de alto custo graças ao aporte da Associação Paulista de Produtores de Algodão (Appa).

A alegria de estar com os alunos foi ampliada com as presenças de dois egressos: Patrícia Rafaella de Mello e André Antenor. Ela terminou o mestrado em junho deste ano e mudou-se de Bandeirantes, no Paraná, para Balsas, no Maranhão. Ele, graduado em agronomia, trabalha na empresa de consultoria Holambra Agrícola.   

Na próxima semana Echer participará do 11º Encontro Técnico do Algodão, que será realizado pela Fundação Mato Grosso em Cuiabá, de 10 a 12 de setembro. Participará de duas interações: mediação de debate sobre reguladores de crescimento e apresentação sobre análise climática do estado do Mato Grosso safra 1018/2019 e os reflexos na produção.

Na sessão ordinária da Câmara Municipal de Presidente Prudente, na segunda-feira (2), foi aprovado requerimentos dos 13 vereadores da 17ª Legislatura para homenagem a Echer que receberá um cartão de prata em dia a ser agendado pelo próprio homenageado, quando a sessão ordinária será transformada em sessão informal.

Echer leciona na graduação em Agronomia e também no Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Agronomia da Unoeste que oferta mestrado e doutorado. Atua na Incubadora Tecnológica de Presidente Prudente (Intepp) e na Fundação Inova, onde desenvolveu o aplicativo Cotton Apps e fez o lançamento em Goiânia.

GALERIA DE FOTOS

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem