CAMPUS:
Telefone 0800 771 5533
Você está em: Notícias

Unoeste inaugura estátua em homenagem ao seu fundador

Monumento instalado em frente ao Bloco A do campus I representa em tamanho real a imagem do eterno professor Agripino


email facebook twitter whatsapp

Foto: Ector Gervasoni Unoeste inaugura estátua em homenagem ao seu fundador
Cerimônia realizada na manhã desta terça-feira (19)

A imagem do professor Agripino de Oliveira Lima Filho, fundador da Unoeste, agora está eternizada em lugar de destaque na entrada do Bloco A, no campus I, o primeiro prédio construído da universidade em 1973, em Presidente Prudente (SP). Ao som da Banda Regimental de Música do Comando de Policiamento do Interior (CPI-8), o monumento foi inaugurado nesta terça-feira (19), em cerimônia de homenagem póstuma que contou com a participação de filhos, netos, bisnetos, demais familiares, autoridades, representantes de entidades públicas e privadas, funcionários e alunos da universidade, além de amigos do professor. Feita de bronze, a obra tem 120 kg e 1,72m, e é de autoria do escultor Pedro Cesar Almeida Santos, de Botucatu (SP).
 
Participaram da solenidade o prefeito de Prudente Nelson Bugalho e o vice Douglas Kato; o presidente da Câmara dos Vereadores, Demerson Dias; o ex-chefe do Executivo, Milton Carlos de Mello ‘Tupã’; além do comandante do CPI-8, o coronel Adilson Luis Franco Nassaro e o frei Levi, representando o Hospital Regional (HR).
 
Em discurso emocionado em nome de toda a família Oliveira Lima, o filho primogênito, Augusto Cesar, resgatou parte da trajetória do pai, a qual ele afirmou ser motivo de alegria para todos. “Sentimos orgulho pelo o que ele foi e representou para Prudente. Acredito que todos os funcionários também têm o mesmo sentimento, pois meu pai valorizava muito o trabalho honesto”, ressaltou em tom comovido.
 
Na vida pública, Augusto Cesar relembrou a popularidade do professor Agripino, que conquistou não só os prudentinos, mas pessoas de todo o estado de São Paulo. “Meu pai recebeu quase 100 mil votos, quando se elegeu para deputado estadual, uma grande marca na história política, pois teve eleitores em quase todos os municípios”.
 
Ele, que é diretor geral da Apec/Unoeste, destacou, ainda, os 46 anos da maior universidade do oeste paulista, uma obra que teve como idealizadores os professores Agripino e Ana Cardoso Maia e, atualmente, é conduzida pelos filhos e netos. “Quando construiu o então Hospital Universitário [hoje Hospital Regional], sempre disse que era para atender os pobres, e que ninguém iria pagar nada. Hoje, vemos muitas pessoas que acompanharam e admiravam o meu pai e que estão aqui pela amizade e saudade que ele deixou”.
 
Em homenagem do professor Eustásio de Oliveira Ferraz, amigo que acompanhou Agripino durante anos, ele resgatou momentos que vivenciou junto ao fundador da Unoeste. “Certa vez, encostado no muro do prédio da Delegacia de Ensino, disse a mim e ao Issao Kussahara, que pretendia, mas não sabia como, criar uma Faculdade de Odontologia, porque depositava confiança e esperança nos jovens, pois de família simples chegou a ser professor, diretor e advogado”.
 
Ferraz relatou que a universidade foi o sonho e a realização do professor Agripino. “A política que imprimiu na Unoeste é aquela arte de tornar concretizável o crescimento da dignidade humana até a plenitude possível. Admirava os grandes realizadores, principalmente da educação, queria segui-los e para isso lutou. Há coisas na vida que só o trabalho explica. Agripino é inteligência fertilizada pela experiência educacional”.
 
O também amigo e companheiro de trabalho por anos do professor Agripino, Inocêncio Erbella, frisou que essa homenagem é mais do que merecida. “Se há um ato em minha vida que compareci por elevação espiritual e reconhecimento ao homem que se destacou como aquele que realizou não só por Prudente, onde andando por todas as ruas vamos encontrar obras dele, mas por toda a região com esse sonho tão grande que ele realizou: a universidade. É o orgulho de todos! Ele era um homem de fé e quem tem fé faz obras. E ele sabia ser amigo, mantivemos uma amizade de mais de 60 anos, com respeito, admiração e troca de trabalho. Embora triste e cheio de saudades do grande chefe, estou muito satisfeito em participar desse momento”, disse.
Foto: Ector Gervasoni Estátua feita em bronze tem 120 kg e 1,72m, com autoria do escultor Pedro Cesar Almeida Santos, de Botucatu (SP)
Estátua feita em bronze tem 120 kg e 1,72m, com autoria do escultor Pedro Cesar Almeida Santos, de Botucatu (SP)

 
Vida pública
Agripino Lima Filho também ficou marcado pela sua atuação na vida pública. Foi vereador, vice-prefeito e como deputado federal participou da elaboração da Constituição Federal. Foi classificado entre os dez deputados que mais trabalharam. Exerceu mandatos como prefeito e deputado estadual. Foi o primeiro governante do município a ocupar a prefeitura por três mandatos pelo voto popular.
 
Em memória
Agripino de Oliveira Lima Filho faleceu em 7 de março de 2018, aos 86 anos de idade. Com Ana Cardoso Maia teve quatro filhos: Augusto César, Ana Cristina, Maria Regina e Paulo César, que os deram 13 netos e quatro bisnetos.


Assista aos melhores momentos.




Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem