Você está em: Unoeste » Rede de Bibliotecas » Periódicos on-line

Livros on-line

  • Disponível na web
  • Disponível no acervo e na web


Área: Letras



imagem O leitor encontrará neste livro o resultado de pesquisas científicas sobre temas que fundam a educação problematizam princípios e práticas atuais da educação escolarizada. Sem abandonar as antigas concepções de educação e também sem valorizar apenas as novidades teóricas, os autores apostam numa sólida união entre Psique e Eros, inspirada nas concepções de Freud. A obra abrange estudos sobre o lúdico na educação infantil, a ética, os afetos, o valor da fantasia na aprendizagem e no desenvolvimento emocional, a constituição profissional de docentes e pesquisadores, a orientação sexual e a educação escolar. Pertinências e impertinências da educação são consideradas na medida em que produzem e reproduzem valores humanos na construção de identidade pessoal e profissional.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Esta obra tem como objetivo analisar o papel que desempenhou a crítica literária na construção da cultura escrita do Oitocentos brasileiro, a partir do pressuposto de que a literatura foi a principal forma de expressão, conhecimento e reconhecimento do Brasil enquanto nação naquele período. Milena da Silveira Pereirabusca apreender em que medida o gênero, então insipiente, foi conduzido por princípios regulares e buscou definir, forjar ou mesmo inventar uma cultura escrita e uma nacionalidade brasileiras. Para a autora, a crítica literária assumiu no século 19 uma posição equivalente à de tutora dos escritores, inclusive traduzindo os anseios e projetos da sociedade, ou seja, teria pretendido ajudar a delinear as feições do literato. Boa parte do discurso crítico produzido naquele período, pontua ela, foi publicada em periódicos editados pelas sociedades literárias de São Paulo e Rio de Janeiro e por esse motivo tais textos constituem o corpus documental da obra, que dedica um capítulo específico a esses veículos. Segundo Silveira Pereira, além de grande peso como instrumento legitimador e de manutenção da prática de associar-se dos letradosdaquele tempo, os periódicos desempenharam papel importante na divulgação de seus escritos para públicos mais amplos, contribuindo assim para a consolidação da crítica literária enquanto tal e das ideias que o gênero textual procurava disseminar.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A autora faz aqui a defesa da teoria de Piaget e aponta os descaminhos dessa teoria no âmbito educacional, esclarecendo, além de rebater, as principais críticas que se faz a ela. Para isso, levanta e discute ideias comumente encontradas em textos educacionais “ditos construtivistas”, artigos e obras de seus críticos e, ainda, nas concepções que emergem no discurso de professores, buscando identificar equívocos, distorções e congruências. O principal objetivo da autora é mostrar como o Construtivismo tem sido “desconstruído” na área educacional e recolocar a teoria piagetiana em seus espaços próprios – os da Epistemologia e Psicologia. Ela procura analisar as concepções que considera falsas ou simplesmente desvirtuadas sobre o Construtivismo no âmbito educacional a partir do interior da teoria, ou seja, recorrendo a argumentos que se apoiam nos “propósitos, questões e conceitos que informaram o trabalho científico de Piaget”. O livro foi dividido em três partes. A primeira, intitulada “Construtivismo, psicologia e educação” trata de elucidar os conceitos-chave da teoria piagetiana, recordar como o Construtivismo veio a tornar-se uma corrente hegemônica na Psicologia e mostrar sua trajetória na educação brasileira. A segunda parte (“Uma pesquisa sobre os desvios do Construtivismo em professores do ensino fundamental”) apresenta dados quantitativos acerca desses “desvios”, os principais equívocos dos professores e uma interpretação sobre as causas de tal “assimilação deformante”. A terceira parte, “Piaget e seus intérpretes”, é dedicada aos intérpretes de Piaget, incluindo seus críticos. Aborda os “recados” enviados aos professores por autores construtivistas e os “pecados” contidos em certas ideias que se transformaram, inclusive, em slogans, além de questionar mais um caso de “assimilação deformante”.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A escrita do passado entre monges e leigos é o testemunho direto da atual vitalidade dos estudos medievais no Brasil, em especial aqueles dedicados às novas problemáticas históricas sobre o reino português nos séculos finais da Idade Média. Leandro Alves Teodoro revisita as fontes cronísticas portuguesas oriundas de dois lugares de produção: o scriptorium do mosteiro de Santa Cruz de Coimbra e a corte régia quatrocentista da dinastia de Avis. O mérito deste livro está na comparação entre esses dois tipos de crônicas, desvelando o percurso da escrita da história em dois momentos distintos. No século XII, a fundação do mosteiro crúzio dos cônegos regrantes de Santo Agostinho esteve entrelaçada com a própria criação do reino de Portugal. Foram os monges os responsáveis pela constituição e pelo ordenamento da memória de glórias do reino. A partir de 1385, o autor analisa o processo de transformação dessa história monástica em um saber histórico laico nas mãos dos cronistas régios. Nesse processo, foram incorporados valores cristãos para que essas crônicas pudessem ter igualmente uma ação pedagógica na formação dos nobres cavaleiros do reino, buscando idealizar o presente e o futuro por meio dos triunfos do passado. Com um texto bem escrito, Teodoro propicia tanto a leitura prazerosa quanto o retorno às origens da arte da composição cronística portuguesa.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Com base em diversas pesquisas de professores e beneficiando-se de sua vivência na área de Linguística Aplicada, foi possível à Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais editar mais um volume da série Estudos Linguístico. Neste volume, apresentamos trabalhos que refletem as atuais preocupações de estudiosos na área de linguística aplicada em relação ao ensino e aprendizagem de gramática e vocabulário em inglês como língua estrangeira e segunda língua

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Os textos aqui reunidos se oferecem como possíveis leituras da problemática do Outro na literatura, pertencente a diversas esferas e recortado conforme a perspectiva crítica adotada em seu enfoque pelos autores. O propósito maior desta coletânea, portanto, é fornecer ao leitor reflexões e questionamentos sobre os aspectos implicados na relação eu x outro presentes nas manifestações literárias tomadas como objeto de análise. Desse modo, os gestos de escrita e leitura serão dimensões em relevo ao longo deste livro, complementando-se e coproduzindo-se no percurso crítico que vai do eu(s) ao outro(s).

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Esta obra tem como o objetivo central a investigação de fenômenos prosódicos do Português Arcaico, a partir de uma comparação das características linguísticas das cantigas medievais profanas com as das cantigas religiosas. Para a análise fonológica, será usado o aparato fornecido pela Teoria da Otimalidade. Durante a análise, são colocados lado a lado fenômenos fonológicos segmentais e fenômenos prosódicos (tais como acento, ritmo, estruturação silábica e processos fonológicos que façam referência direta a esses fenômenos), em um período passado, do qual não se tem registros orais.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A obra analisa a relação conclusiva expressa por meio das conjunções então e portanto, em dados do português falado nos países lusófonos. Para tanto, utiliza o aparato teórico da Gramática Discursivo-Funcional, modelo que privilegia a intenção comunicativa do falante ao fazer uso do sistema linguístico em situação de interação. A análise revela a existência de três diferentes tipos de relação conclusiva: a Função Resumo (que ocorre entre porções textuais maiores, para sintetizar uma explanação anterior), a Função Conclusão (que relaciona indiretamente duas orações por meio de uma premissa) e a Função Consequência (que relaciona diretamente duas orações, à semelhança de causa-consequência). Acesso mediante a cadastro gratuito.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Trata-se, neste livro, do conjunto da obra de Adolfo Caminha - um polígrafo na literatura brasileira do século XIX - durante o período de 1885 a 1897. O estudo abrange não somente os seus textos ficcionais, mas também os seus escritos críticos e jornalísticos. Considera-se, portanto, a atuação do escritor como político, editor, leitor e crítico literário. Salienta-se que a escrita de Caminha se caracteriza por dois movimentos: um horizontal, que estende a sua obra, e outro vertical, que produz uma estética do aproveitamento, constituída a partir dos diálogos existentes entre um e outro dos seus fazeres. A obra apresenta uma contribuição original aos estudos sobre a literatura brasileira. Acesso mediante a cadastro gratuito.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A formação histórica do português brasileiro deu-se em complexo contexto de contato entre línguas. Dentre as diversas situações de contato havidas, a do português com línguas africanas assume maior relevância por ter sido generalizada no tempo e no espaço. Africanos e afro-descendentes, no período que se estende do século XVII ao século XIX, correspondem juntos a cerca de 60% da população brasileira (cf. MUSSA, 1991). Contudo, a escrita da história lingüística deste que é o mais expressivo segmento formador da população brasileira era tarefa que se colocava no plano de uma reconstrução quase que exclusivamente a partir de 'indícios', uma tarefa não para historiadores, mas para arqueólogos da língua portuguesa (cf. MATTOS E SILVA, 2002) (trecho retirado da Introdução do livro).

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Alphabeto Nacional.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Erotilde Goreti Pezatti e Michel Gustavo Fonte tratam, nesta obra, de questões avançadas do campo da Linguística. Eles investigam aqui o uso e a estrutura morfossintática de sentenças interrogativas do português brasileiro, especificamente de sentenças interrogativas diretas que contêm um pronome ou advérbio interrogativo, que neste trabalho foram denominadas Interrogativas de Conteúdo. Durante a pesquisa eles analisaram, com base no funcionalismo de linha holandesa, a estrutura das Interrogativas de Conteúdo na história do português brasileiro, por meio de textos de peças de teatro e cartas pessoais de duas diferentes épocas: séculos 19 e 20. A investigação foi orientada pelo objetivo principal de averiguar e demonstrar os condicionamentos discursivo-pragmáticos envolvidos na estruturação morfossintática das Interrogativas de Conteúdo. Os autores avaliaram especificamente a ordenação do constituinte interrogativo e do sujeito, já que ambos os constituintes podem ocupar ora a posição inicial, ora a posição final da oração. E se voltaram ainda para a separação do constituinte interrogativo em posição inicial por meio dos expletivos é que e que". Acesso mediante a cadastro gratuito.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Este trabalho dialoga e contribui com a linha de pesquisa EnsinoAprendizagem de Línguas Estrangeiras, pois trata da avaliação das línguas estrangeiras presentes no Ensino Médio, e considera que a avaliação é parte fundamental e indissociável do processo de ensino-aprendizagem de qualquer componente curricular. A questão da avaliação de línguas é defendida por Cook (apud MENEZES; SILVA; GOMES, 2009) como tema da primeira área geral do escopo da Linguística Aplicada (LA) sugerido por ele, que é Linguagem e Educação

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O propósito deste ensaio é desenvolver uma leitura comparativa, por aproximação e contraste, de quatro romances de José Saramago. Recorte no amplo universo do romancista português, o trabalho levanta questões que possibilitam um ordenamento das leituras sobre sua obra a partir de um exame detido de um romance de sua fase mais nacional: A jangada de Pedra, em contraposição à trilogia constituída por Ensaio sobre a cegueira, Todos os nomes e A caverna. A obra busca explicitar espelhamentos e refrações entre A Jangada de Pedra e Ensaio sobre a cegueira, bem como as muitas ressonâncias entre Ensaio sobre a cegueira, Todos os nomes e A caverna, e assim delinear um horizonte de convergências estruturais e/ou temáticas perceptível no confronto das obras. Tal estratégia possibilita à autora depreender e apontar a marca narrativa que articula a variedade ficcional de cada romance, os quais agrega sob uma rubrica comum, mostrando que temas, figuras, mitos, símbolos, procedimentos narrativos e outros recursos que deles emergem configuram Saramago como romancista que “sendo a cada vez outro, é sempre o mesmo”.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Este estudo crítico apresenta uma leitura comparada entre o romance Ensaio sobre a cegueira (1995), do escritor português José Saramago, e sua adaptação cinematográfica,Blindness (2008), dirigida pelo cineasta brasileiro Fernando Meirelles. A narrativa de Saramago, tomada como ponto de partida, é analisada à luz das categorias de imagens estabelecidas por Northrop Frye: demoníacas, apocalípticas e analógicas. Em seguida, considerando-se que a literatura e o cinema, apesar de traços comuns, são sistemas semióticos distintos, verifica-se o tratamento que as imagens do livro receberam em sua adaptação cinematográfica, observando aproximações e contrastes existentes entre a narrativa e o filme.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Autor dos mais estudados da literatura brasileira, a atuação de Machado de Assis como poeta, no entanto, só mais recentemente tem recebido a devida atenção da crítica. Sendo assim, o estudo de Fabiana Gonçalves vem suprir uma lacuna que de há muito era sentida pelos pesquisadores machadianos. A pesquisa com as Poesias completas, obra publicada em 1901, visou não apenas estudar a produção poética, como também investigar a figura do editor Machado de Assis na organização da antologia.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem "Se historicamente a educação escolar no Brasil foi marcada por um profundo corte elitista, o processo de democratização do ensino apresentou incontestáveis avanços desde a Constituição de 1988. A caminhada pela universalização, no entanto, não se deu à margem de suas heranças históricas, bem como novas fronteiras surgiram para o desafio da educação emancipatória. Esta obra reúne 17 ensaios que debatem os dilemas existentes no cotidiano da sala de aula. Divididos em três partes - "" Educação, culturas realidade social"", ""Políticas educacionais"" e ""A escola"" -, os textos coligidos abordam temas variados relacionados à prática escolar, como cidadania, políticas afirmativas e gestão administrativa, e compõem um cenário contemporâneo dos principais desafios colocados para a educação de nosso tempo."

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Reunião de 19 artigos produzidos durante o Simpósio de teologia e literatura, realizado durante o "XI Congresso Internacional da Abralic", em julho de 2008. Os autores, pesquisadores na área de estudos comparados, apresentam uma reflexão sobre as relações entre literatura e teologia, e uma abordagem atual para os estudos de literatura.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Mais uma realização do grupo de pesquisa PROHPOR (Programa para a História da Língua Portuguesa), Do Português Arcaico ao Português Brasileiro é a terceira coletânea realizada pelos especialistas do Departamento de Letras Vernáculas da Universidade Federal da Bahia, depois do sucesso de A Carta de Caminha: Testemunho Lingüístico de 1500 e O Português Quinhentista: Estudos Lingüísticos. Esta obra, organizada pelos ilustres pesquisadores da área, Américo Venâncio Lopes Machado Filho e Sônia Bastos Borba Costa, recobre estudos que vão do português arcaico e avançam ao português brasileiro contemporâneo, passando pelos séculos XVI, XVII, XVIII e XIX, recuando, em alguns casos, ao latim.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O livro permite a construção de novos olhares sobre a educação e a atuação docente. Confronta o educador com a grande necessidade de formação profissional, problematizando o contexto educacional e a realidade da surdez como diferença.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A aplicação das tecnologias de informação e comunicação à educação (como o uso dos games como locus de aprendizagem e a midiatização do conhecimento na EAD), o reconhecimento da diversidade cultural, a valorização das trocas interculturais, a importância da ética e dos valores e da história oral de vida, a definição de políticas públicas e a atualidade do pensamento de Freinet, Vigotsky e Paulo Freire são alguns dos temas discutidos neste livro. Se seu tema central é a educação e os desafios que a contemporaneidade apresenta para a formação de profissionais da área, sua maior virtude é não desconhecer as densidades interpretativas que surgem com estas reflexões

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O livro traz texto de apresentação, onde se explicita como a temática se tornou objeto de estudo e trabalho destas duas profissionais, seguido de uma introdução em que se discutem educação, exclusão social, direitos humanos, a realidade das pessoas com deficiência e o papel da escola neste cenário. Um capítulo de Contextualização conceitua as ideias de deficiência, inclusão versus integração, educação inclusiva e formação do professor. Depois, o capítulo Refletindo sobre a educação inclusiva apresenta a psicologia histórico-cultural de Vygotsky e as contribuições da psicanálise. Análise da inclusão na prática faz um delineamento da pesquisa e discute qualificação e problematização da inclusão no cotidiano escolar, a atuação e a formação do professor, os paradoxos e sentimentos despertados pela convivência.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Este estudo tem como base o trabalho sobre a tipologia linguística desenvolvida pelos linguistas Edward L. Keenan e Bernard Comrie, formuladores de estratégias de formação da oração relativa e da Hierarquia de Acessibilidade. Em suas análises, os autores buscam evidências que confirmem a proposta de revisão feita pelo linguista Simon Cornelis Dik à Hierarquia de Acessibilidade. Na obra, eles salientam que uma pesquisa de base tipológico-funcional não se pode fiar em critérios puramente morfossintáticos e procuram determinar em que medida as funções semânticas têm influência na construção de orações relativas. Apesar de se dedicar ao estudo de línguas indígenas, esta obra não é voltada para a Linguística Indígena, uma vez que seu foco principal é a caracterização tipológico-funcional da oração relativa. No entanto, os autores optaram por tomar como base de dados da análise as línguas indígenas brasileiras pelo fato de haver poucos estudos tipológicos dedicados a elas. Dessa forma, acreditam poder contribuir também para o desenvolvimento da linguística aplicada às línguas nativas do país. Acesso mediante a cadastro gratuito.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Escritos em diferentes momentos e circunstâncias da carreira do pesquisador Alvaro Santos Simões Junior, este conjunto de dez ensaiostrata da produção, circulação e recepção de obras literárias no Brasil a partir do fim dos anos 1800. O primeiro texto reconstrói o ambiente em que, na virada século 19 para o século 20, da Monarquia para a República, do trabalho escravo para o livre, surgiram novas condições para o trabalho intelectual. O texto seguinte fala de uma modalidade bem-sucedida de atuação profissional dos escritores daquele período - as revistas de ano. Enquanto os romancistas seguiam os passos de Émile Zola e Eça de Queiroz, utilizando linguagem depurada, os “revisteiros” aderiam à metalinguagem e à paródia, e abusavam da fantasia, incorporando os variantes regionais e sociais. O terceiro e o quarto ensaios ainda olham para aquele momento histórico. Analisam, respectivamente, romances naturalistas brasileiros e notícias a respeito da morte de Zola, oferecendo, ambos, uma ideia de como era complexa relação dos intelectuais brasileiros com os amados e, eventualmente, odiados mestres europeus. O texto seguinte trata da literatura paradidática da Primeira República, à qual se dedicaram sistematicamente vários escritores daquele período. Os três ensaios subsequentes resultaram de investigação do autor sobre a repercussão do Simbolismo nos periódicos brasileiros e revelam a importância da imprensa periódica para a divulgação e circulação das obras literárias: o primeiro analisa um hebdomadário dirigido de 1893 a 1895 por Artur Azevedo; o segundo examina a atuação de Medeiros e Albuquerque como crítico literário do vespertino A Notícia de 1897 a 1905; o último aborda as intervenções do jovem Paulo Barreto, redator da Cidade do Rio, jornal de José do Patrocínio, contra o Simbolismo brasileiro na virada do século. O penúltimo estudo da coletânea reflete sobre a obra de Ana Cristina Cesar, autora mais representativa da “geração mimeógrafo”, que criou em pleno regime militar um circuito independente de produção e circulação de obras literárias. Encerra o volume um ensaio sobre a obra de Menalton Braff direcionada ao público jovem.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Neste livro abre-se a uma diversidade de acepções que o conceito de espaço abriga nos objetos e cenários literários contemporâneos. O próprio texto como um espaço espacializante, na sua textualidade como corpo ou na visualidade da escrita, configura um espaço de linguagem. O contexto cultural e histórico envolve referências e dados situados em determinados momentos que articulam um espaço de relações com o texto literário. O espaço da institucionalização, com as representações de poder, o espaço social, o espaço como paisagem, nas configurações natural, regional, física e psicológica, e o espaço do mito com suas imagens e sentidos simbólicos, são outras formas de mobilização do conceito. O espaço pictórico, quer como elemento componente da pintura ou como a própria linguagem na composição da escritura, que se vale de técnicas plásticas, também é contemplado, assim como esse tipo de diálogo abriga outros meios e linguagens, como o cinema, a propaganda, a fotografia, nas relações entre as artes. Há também a possibilidade de se rever o objeto literário, em termos de espacialidade, sob essa perspectiva múltipla do olhar contemporâneo. Ou seja, no lugar daquele sentido restrito de categoria estrutural, o conceito incorpora uma visão ampla e metafórica, dentro da qual o próprio texto faz emergir uma concepção e função da espacialidade por meio de suas estratégias de construção. Diante de tantas possibilidades de leitura do conceito, o presente livro reúne textos que abordam aspectos da simbolização espacial em obras literárias que implicam um olhar contemporâneo para essas figurações.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Fragmentos do contemporâneo: leituras reúne artigos de professores do Programa de Pós-Graduação em Letras da UNESP, campus de São José do Rio Preto, resultado de suas recentes pesquisas sobre literatura contemporânea. O livro, composto por sete estudos, analisa textos e autores nacionais e internacionais, em prosa e poesia. Susanna Busato estuda o sujeito que adere ao espaço urbano, a partir da poesia de Frederico Barbosa, Heitor Ferraz e Fábio Weintraub. Sérgio Vicente Motta analisa o romance de Chico Buarque, Leite Derramado. Arnaldo Franco Junior explora as relações entre produção textual, intertextualidade em obras de Dalton Trevisan e Valêncio Xavier.A literatura contemporânea portuguesa é contemplada no estudo de Sônia H. Piteri sobre a obra de Maria Gabriela Llansol e de Maria H. Martins Dias, que aborda o discurso ficcional de António Lobo Antunes em O manual dos inquisidores. Giséle Manganelli Fernandes investiga como a ficção pós-moderna reavalia o passado em Falling Man, de Don DeLillo. Diva Cardoso de Camargo discute o estilo na autotradução, por meio das obras Viva o Povo Brasileiro, de João Ubaldo Ribeiro, e An invincible memory, de João Ubaldo Ribeiro.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A obra nasce no bojo das discussões e problemas relacionados (ou associados) ao ensino de gramática, tanto no âmbito acadêmico quanto no profissional. Em tal contexto, Ana Carolina Sperança-Criscuolo busca demonstrar a adequação pedagógica da proposta de descrição e análise de orações subordinadas substantivas sob uma perspectiva funcionalista-cognitivista. A autora escolhe o domínio da sintaxe pela importância desse nível de organização da língua na arquitetura do texto. Além disso, o processo de subordinação substantiva, foco da pesquisa, figura como recurso bastante recorrente e produtivo no português. O estudo dos aspectos pragmático-discursivos ligados a tal processo pode, assim, proporcionar melhor entendimento e maior domínio dessas construções e, consequentemente, dos textos. O livro organiza-se em cinco capítulos. Neles, a autora apresenta um breve histórico sobre o desenvolvimento dos estudos linguísticos, discute os princípios teóricos que nortearam a pesquisa, trata da perspectiva cognitivista no estudo da língua, aborda o tratamento tradicional do período composto por subordinação. Partindo de usos autênticos das orações, ela ainda analisa aspectos pragmáticos e discursivos associados a sua organização e, finalmente, promove uma discussão sobre elementos que possibilitam refletir sobre a língua como um sistema complexo e dinâmico.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O ensaio cumpre o papel de proporcionar aos estudiosos de literatura uma visão pormenorizada das ilustrações e das capas de várias edições do romance Gabriela, cravo e canela, no Brasil e no mundo. O grande desafio é promover incessantemente um canal de experiências e de intercâmbios culturais, incentivando e sistematizando a produção de estudos, teses e ensaios realizados a partir da obra de Jorge Amado.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Gilberto Freyre é o principal formulador do ideário regionalista nordestino. Nos textos de interpretação sociológica que produziu, desde o início da década de 1920, já aparecem as matrizes temáticas que estarão presentes nos romances de José Lins do Rego, escritos na década seguinte, consubstanciando, assim, um rico desdobramento estético daquele regionalismo e, ao mesmo tempo, uma interseção entre sociologia e literatura que abordamos a partir de ensaios, romances e cartas destes dois autores, onde sociologia e romance, conceitos e afetos e ideologias se fundem na compreensão, ora empática, ora nostálgica, ora dramática, de uma sociabilidade que remonta às raízes imemoriais de nossa sociedade.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Morte, suicídio, pedofilia, gravidez precoce, estupro violência, homossexualismo, racismo, iniciação sexual, holocausto, bulling são temas que, para muitos leitores, pouca ligação teriam com o universo da literatura infantil e juveinl, geralmente associada aos contos de fadas, às aventuras ou à fantasia. No entanto, são temas muito presentes na produção literária contemporânea voltada a crianças e jovens e que especialistas da área enfrentam de modo arrojado neste livro, em análises agudas de obras de escritotores como Monteiro Lobato, Lygia Bojunga, Michael Ende, entre outros. Obs: necessita de cadastro gratuito para acessar o livro.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem As autoras tentam explicar a ocorrência de grafias não convencionais entre alunos no período posterior ao da alfabetização, ou seja, do sexto ao nono ano do Ensino Fundamental, quando essas grafias não seriam esperadas. O principal foco da pesquisa é a hipersegmentação, ou seja, a presença de registros não convencionais de recursos gráficos – como espaços em branco ou hífens - no interior de palavras nas quais eles não são necessários. Para as pesquisadoras, essas ocorrências são fortemente motivadas pela própria complexidade linguístico-discursiva das palavras, não só em seu registro escrito, mas também do ponto de vista linguístico, ou seja, a relação entre fala e escrita. Mas as hipersegmentações não se limitam necessariamente a palavras “complicadas”. Dentre os exemplos citados, encontram-se hipersegmentações de palavras banais, como “em bora” – embora; e “mora-va” – morava -, encontradas na escrita de estudantes dos quatro últimos anos do Ensino Fundamental. Ainda que dirija-se especialmente a professores, fonoaudiólogos e pesquisadores empenhados em entender o funcionamento da escrita - notadamente da palavra escrita e de suas relações com a fala – o livro atende a todos os que se interessam pela linguagem e por sua influência sobre a Educação. Acesso mediante a cadastro gratuito.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Ao discutir a instituição da literatura infantil como objeto de ensino na formação de professores, Fernando Rodrigues de Oliveira apresenta a trajetória histórica de construção da disciplina “Literatura infantil” e sua intrínseca relação com a formulação de um saber escolar.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O autor explica que, devido à inexistência de uma teoria e crítica específicas desse gênero, o saber escolar que se fundou no âmbito do ensino da literatura infantil passou a “funcionar” como teorização do gênero no período abordado (1947-2003).

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Este livro é publicado pelo Programa de Publicações da Pró-Reitoria de Extensão Universitária da Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho" (UNESP). Obs: Necessita de cadastro gratuito para acessar o livro.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A formação do leitor, o contexto da leitura e a produção literária para crianças e jovens no Brasil são as questões centrais desta coletânea, que oferece vasta matéria para reflexão sobre o assunto. O livro reúne artigos de pesquisadores do Grupo de Trabalho (GT) de Literatura Infantil e Leitura da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Lingüística (Anpoll), criada em 1984 para representar a área junto às agências de fomento e aos fóruns responsáveis pelas políticas de pesquisa e pós-graduação no país. Acesso mediante a cadastro gratuito.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A proposta inspira-se em dois aportes de referência: o espaço biográfico tomado de empréstimo de Leonor Arfuch e a vida pensada como obra de arte por Michel Foucault. Tais argumentos possibilitam um novo olhar à produção de nossas pesquisas, borrando fronteiras entre ser intuitivo e ser arcabouço teórico-metodológico que venha a delinear o percurso rumo a um conhecimento que se articula. Com vistas aos gêneros discursivos, abarcados em sua pluralidade, buscando apreender um excedente da literatura, a noção de espaço biográfico vai sendo ampliada de forma a contemplar para além das diversas formas que tem assumido a narração inveterada das vidas notáveis ou "obscuras", entre as quais a autobiografia moderna não é senão um "caso".

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O estudo das inter-relações entre língua e sociedade, a partir de um corpus jornalístico, é o foco primordial desse livro. Trata-se da investigação do sistema de formas de tratamento nos jornais da Imprensa Negra paulista - movimento realizado por negros e destinado a essa população no período posterior à abolição da escravatura no Brasil - e em O Combate - jornal de circulação mais ampla na cidade de São Paulo no início do século XX. As formas de tratamento representam um exemplo privilegiado da relação entre a escolha linguística e seu motivador social. Elas foram analisadas a partir da relação de alguns pontos de vista teóricos, a saber: o estudo do jornal como um hipergênero, proposta de Bonini (2003, 2004, 2006), com o intuito de se avaliar as características peculiares de cada um dos gêneros do jornal; a proposta de análise da situação do interlocutor no momento da enunciação de Soto (2001); a investigação das marcas de interatividade, proposta por Andrade (2008); e a semântica do poder e da solidariedade de Brown e Gilman (1972 [1960]). O estudo desse fenômeno linguístico revelou à necessidade dos negros do período de conquistarem um espaço na sociedade paulistana da época e, dessa forma, a Imprensa Negra representava um espaço de circulação de sua voz na sociedade.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A coletânea de textos deste livro analisa os desafios e as possibilidades de uma educação que transcenda os muros da sala de aula e se abra para as linguagens e práticas do mundo. No novo cenário que vai se delineando para a educação do século XXI, o contexto de ensino e aprendizagem de línguas já vem mostrando os efeitos da "Idade Mídia" em que vivemos, sinalizando, também, o importante papel que as novas ferramentas de natureza tecnológica vêm desempenhando na definição de novas posturas e modalidades pedagógicas. Tais aspectos são discutidos por pesquisadores de renomadas instituições de ensino superior, nacionais e internacionais, que propõem três eixos centrais de reflexão: linguagem, educação e virtualidade. Partindo de suas experiências didáticas e reflexões teóricas, os autores colocam em pauta assuntos de relevância para a compreensão das novas demandas que refletem diretamente em áreas como a formação inicial e continuada de professores, o trabalho docente na sala de aula presencial e virtual, o design de materiais didáticos e a forma como os novos meios e práticas incidem no funcionamento da linguagem e no surgimento de novos gêneros discursivos.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Este livro perfaz dois movimentos, duas estratégias de leitura: a da intermidialidade e a da literatura de multidão. A fronteira entre elas é tênue e provisória. O que as separa é um filtro que tanto deixa passar quanto retém. É um livro de crítica, um exercício de experimentação crítica que propõe um olhar transversal sobre as obras, com a finalidade de compreendê-las por aquilo que nelas remete para as formas de vida, para os espaços de produção simbólica e de sua logística de circulação e consumo.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Gira em torno de duas temáticas: memória e educação e formação de professores. A primeira diz respeito à identificação dos processos civilizatórios e o modo como se articulam com os processos educativos no que se refere à história da educação, pluralidade cultural, movimentos sociais, representação social e inclusão. A segunda aborda a importância dos estudos e pesquisas que contribuem para a formação de novos agentes destinados ao papel de formadores de um mundo mais humano e justo.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Este livro é publicado pelo Programa de Publicações da Pró-Reitoria de Extensão Universitária da Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho" (UNESP). Obs: Necessita de cadastro gratuito para acessar o livro.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Esta coletânea de ensaios críticos apresenta nova fortuna crítica deste grande escritor que discute temas ainda inexplorados. Estes artigos são escritos tanto pelos estudiosos amadianos de renome quanto pelos jovens que estreiam suas carreiras de críticos, críticos emergentes que sentiram a necessidade de oferecer uma nova leitura deste escritor controverso nesta ocasião de centenário. Cobrindo um vasto campo: literatura, linguística, história, memória e direito. Esses escritores estão apresentando suas críticas das obras amadianas para chamar atenção, para desmitificar o mito em torno de Amado e também para provocar o leitor a reler obras de Amado no novo século com uma nova perspectiva.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Este trabalho apresenta uma leitura do romance O coronel e o lobisomem, publicado em 1964, pelo escritor brasileiro José Cândido de Carvalho. Ao problematizar o conceito de regionalismo literário, busca-se averiguar em que medida é possível aproximar essa obra da chamada tendência super-regionalista, a fim de determinar o lugar que ocupa tanto na produção do autor, quanto no conjunto da literatura regionalista brasileira. O estudo da categoria crítica do super-regionalismo convoca a compreensão de outros conceitos, como o de transculturação narrativa, que também serão dimensionados no sentido de contribuir para uma leitura da narrativa regionalista em sua dimensão insólita. A partir disso, propõe-se um delineamento dos procedimentos formais e dos eixos temáticos mobilizados pelo autor na composição de seu romance, de modo a contribuir para a revisão de sua fortuna crítica, bem como ampliar a compreensão dos paradigmas que orientam tal momento, ainda pouco estudado de maneira sistemática, do regionalismo literário brasileiro.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O percurso da indianidade na literatura brasileira: matizes da figuração faz uma viagem pela Literatura Brasileira em busca da imagem do índio em seus diversos matizes. Dezoito obras são analisadas pela perspectiva da figuração, que define a presença do nativo brasileiro pela linguagem e a colore de acordo com a época e com as estratégias de cada autor. O percurso se estende da Carta de Achamento, de Pero Vaz de Caminha, até a publicação de Maíra (1976), de Darcy Ribeiro. As análises consideram as diferentes convenções ideológicas e de estilo dos vários movimentos culturais, que promovem o diálogo entre o indianismo e o indigenismo literário brasileiro. O propósito didático consiste em subsidiar os leitores por meio de um roteiro de leitura, que abriga o pensamento científico, conjugado com a presença de trechos das obras, elementos relevantes para a compreensão do universo representativo literário. Acesso mediante a cadastro gratuito.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Organizado pelos professores Dante Lucchesi e Ilza Ribeiro, da Universidade Federal da Bahia, e pelo professor Allan Baxter, da Universidade de Macau, teve a colaboração de vários autores, professores de outras universidades do mesmo Estado, além de mestres, doutores e pós-graduandos, em geral oriundos daquela mesma universidade, integrantes do grupo de pesquisa ali constituído, e que vêm se dedicando ao estudo da realidade lingüística brasileira. Baseado na análise de amostras da fala de algumas comunidades rurais afro-brasileiras isoladas, no caso, quatro comunidades do Estado da Bahia - Helvécia, Cinzento, Rio de Contas e Sapé -, o livro apresenta os resultados obtidos pela aplicação de modelos teóricos que transitam da gerativa, de princípios e parâmetros, à sociolingüística variacionista, dentro daquela linha fecunda inaugurada pelo Prof. Tarallo nos anos oitenta.Dividido em duas partes, são apresentados, na primeira, os fundamentos teóricos e metodológicos nos quais se baseou a pesquisa e também o contexto sócio histórico das comunidades analisadas. Na segunda parte, são isolados dezesseis 'pontos-diagnósticos' (apropriando-me da expressão utilizada pelo Professor Aryon Rodrigues em sua análise comparativa das línguas tupi-guarani), pelos quais se pode tanto esboçar um retrato das variedades vernáculas das comunidades pesquisadas, quanto levantar hipóteses, já mais bem fundadas, sobre a história do contato do português com as línguas africanas em território brasileiro.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem "Este livro analisa a formação de nomes comerciais com elementos do inglês no português brasileiro e no português europeu, observando como os empréstimos se comportam, em termos linguísticos e culturais, nessas duas variedades da língua portuguesa. Verificou-se como falantes do português brasileiro e europeu pronunciam nomes comerciais criados a partir de palavras do inglês, enfocando o estudo das adaptações nos níveis fonético e fonológico e observando o tipo de estrutura morfossintática desses nomes e sua ortografia."

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Este livro tem como proposta apresentar uma análise comparativa de fenômenos relacionados à concordância verbal e à alternância pronominal no português falado no Brasil e em Portugal, com o objetivo de fornecer subsídios à discussão sobre a origem das variedades de língua portuguesa presentes atualmente no país. Cássio Florêncio Rubio utiliza como material de estudo exemplos de falas de São José do Rio Preto e de cidades da região, provenientes do Banco de Dados Iboruna, composto com amostras do modo de falar do interior paulista e dados de variáveis sociais. As falas de diversas regiões de Portugal ele foi buscar no Corpus de Referência do Português Contemporâneo. O autor ampara suas análises na Sociolinguística Variacionista do estudioso norte-americano William Labov, que concebe a língua influenciando a sociedade e por ela sendo influenciada, em uma relação constante. As escolhas de uma ou outra variante da língua, de acordo com Labov, são determinadas por fatores linguísticos e também extralinguísticos, como os que identificam socialmente os indivíduos em um grupo. A partir do detalhado estudo comparativo desenvolvido na obra, Rubio defende que os fenômenos presentes no português brasileiro resultam de uma generalização das variações particulares já existentes no português europeu, que teriam ganhado novas caracterizações por causa da confluência de múltiplas motivações, as quais adquirem forças diferenciadas através do tempo e do espaço. Acesso mediante a cadastro gratuito.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A coletânea tem como eixo central a Educação Escolar e este tema conduz e confere unidade às reflexões, abordado a partir de diferentes perspectivas. A preocupação que perpassa todos os textos pode ser expressa na seguinte pergunta: como enfrentar os problemas vividos pela escola, num momento em que a ela se atribui uma gama enorme de responsabilidades? Cada autor, circunscrito à sua temática de pesquisa, nos instiga a pensar essa questão. O que move cada um é o desejo de que a escola acolha aqueles que lá chegam e que se responsabilize por eles, mas sem perder de vista o quanto é complexa e delicada essa atividade de inserção dos novos neste mundo. Talvez, a ideia de responsabilidade seja mesmo a que melhor defina os propósitos gerais desta coletânea, a qual se manifesta no compromisso político com a educação de crianças e de adolescentes, portanto, no compromisso com o mundo em que vivemos. A resposta a essa pergunta poderá ter como parâmetro os textos aqui presentes que estão assim organizados: na primeira parte da coletânea, os autores lidam com aspectos relacionados às Políticas Públicas e Educação; na segunda abordam a Formação de Professores; na terceira parte, focam Valores e Educação e, na quarta parte, voltam-se para as Práticas Educativas. Concluímos, destacando que esta coletânea explicita o quanto é complexa a tarefa de investigar a educação escolar, pois ela comporta uma série de nuances que precisa ser analisada por diferentes saberes que são complementares.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O objetivo deste livro é tornar públicas reflexões, ensaios e relatos acadêmicos sobre os intrincados processos desenvolvidos para a consolidação de linhas de trabalho e formação de novos pesquisadores. Para isso, reunimos autores vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara/UNESP, convidamos a Professora Maria do Rosário Mortatti, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Ciências de Marília/UNESP e aproveitamos a oportunidade criada pelo Programa de Publicações Digitais da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UNESP, dadas as possibilidades que oferece para que essas contribuições cheguem aos leitores visados: aqueles que estão iniciando atividades de pesquisa.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O objetivo desta coletânea é demonstrar como a organização de corpora linguísticos diferentes atende aos diversos tipos de pesquisa linguística, sejam eles centrados numa mesma língua – abordando diferentes fenômenos dessa língua – ou focados em outras línguas naturais. A obra agrega sete pesquisas linguísticas de diferentes estudiosos – que se amparam em aportes teóricos também diversos –,as quais têm como base para coleta de dados a organização de algum tipo de corpus linguístico. De enfoque tanto sincrônico quanto diacrônico, de cunho variacionista e também formalista, os trabalhos englobam os quatro níveis básicos de análise linguística: o fonológico, o morfológico, o semântico e o sintático.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Apresento neste estudo uma investigação sobre os tipos de orações completivas, distribuídas numa hierarquia entre mais ou menos verbal/nominal, tendo como suporte dados reais de conversação. Trata-se de um trabalho sobre a gramática da complementação do português brasileiro, mais especificamente sobre construções gramaticalmente disponíveis, com base em determinados tipos de predicados encaixadores verbais, em relação ao papel que essas construções exercem nas estruturas completivas do português.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Publicada pela EDUFBA e organizada por Tânia Lobo, Zenaide Carneiro, Juliana Soledade, Ariadne Almeida e Silvana Ribeiro, a obra é constituída por 48 artigos que apresentam investigações sobre o português arcaico e o português brasileiro com intuito de prestar homenagem à Profa. Dra. Rosa Virgínia Mattos e Silva, Professora Titular de Língua Portuguesa e Professora Emérita da Universidade Federal da Bahia (UFBA), falecida em julho de 2012.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A proposta do presente livro é oferecer ao leitor uma descrição fonológica das qualidades vocálicas vigentes na primeira fase (período trovadoresco) do português arcaico a partir da análise das rimas e da grafia das Cantigas de Santa Maria, de Afonso X, o Sábio, Rei de Leão e Castela, elaboradas na segunda metade do século XIII.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Livro organizado pelos professores Vera Teixeira de Aguiar e João Luís Ceccantini. Meu capítulo se chama “O sentido das páginas: letramento visual de adultos no início da alfabetização”. Trabalho com leitura, layout e multimodalidade. A editora é Cultura Acadêmica. Obs: Necessita de cadastro gratuito para acessar o livro.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Tecnologias Digitais na Educação apresenta uma seleção de artigos que são resultado das monografias da primeira turma do curso de Especialização em Novas Tecnologias na Educação.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Dividido em dois eixos, em seu primeiro momento, o livro volta-se para a Educação a Distância (EaD) como política pública para o desenvolvimento de ações metodológicas de ensino e aprendizagem. Em seu segundo momento, os textos apontam para a EaD como metodologia propícia à formação continuada de professores e gestores das escolas públicas e privadas, devido a acessibilidade à Educação propiciada pelas tecnologias da informação e comunicação. Tais temáticas poderão ser facilmente identificadas nos oito artigos que trazem tanto trabalhos de cunho qualitativo quanto quantitativos, voltados para a melhoria e aperfeiçoamento das práticas docentes dos professores.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A obra apresenta artigos científicos correspondentes a algumas das comunicações de resultados de pesquisa apresentadas no Simpósio "Travessias: o leitor, a leitura e a literatura", realizado durante o IX Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada-ABRALIC, em Porto Alegre, no ano de 2004. Os textos sublinham a importância da discussão e da reflexão sobre os caminhos percorridos pela criação literária, considerando aspectos tanto de sua produção como de sua circulação e recepção. Obs: Necessita de cadastro gratuito para acessar o livro.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O principal objetivo desse estudo é apontar, descrever e analisar as formas de transposição dos pressupostos brechtianos de teatro em O render dos heróis, de José Cardoso Pires, e Felizmente há luar! de Luís de Sttau Monteiro e mostrar a relação dessas peças com o período anterior à Revolução de 25 de Abril, especificamente na década de 1960, marcada pelos processos de aplicação da censura. A matriz brechtiana em O render dos heróis e em Felizmente há luar!, além de ser a estética responsável por uma tentativa de inovação das formas dramáticas praticadas em Portugal, também confirma a preocupação dos autores com a expressão de um posicionamento crítico perante a realidade, com os rumos da dramaturgia e com o papel do dramaturgo em seu tempo e lugar. Obs: necessita de cadastro gratuito para acessar o livro.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem "O oportuno título desta obra representa com perfeição o que ela tem de peculiar: a análise da teoria e da prática da tradução associada a outros tópicos e campos de conhecimento, como a adaptação, a psicanálise, o direito, a tradução de poesia no Brasil, a questão de gênero, a crítica, as novas tecnologias. Segundo os organizadores, a intenção deste trabalho “foi trazer alguns tópicos teóricos tanto ao leitor não especializado como àquele que já tem familiaridade com a leitura da literatura sobre tradução, sem ter como objetivo uma aplicação direta de princípios teóricos nem de uma metodologia. Trata-se de um convite a uma refl exão teórica sobre a prática de tradução, a partir dos tópicos selecionados”. Os ensaios do presente livro, escritos por pesquisadores da área ligados a universidades brasileiras que oferecem cursos de tradução em nível de graduação ou pós-graduação, revelam a consolidação dos Estudos da Tradução como disciplina."

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O que poderá talvez deixar mais intrigado o leitor que pela primeira vez se depare com o título Travessias pela Literatura Portuguesa: estudos críticos de Saramago a Vieira é a aparente anomalia na disposição dos nomes que aparecem em subtítulo: de Saramago a Vieira. Não faria mais lógica de Vieira a Saramago? No entanto, quando percorremos o conjunto de oito artigos que compõem este volume, compreendemos que eles não estão dispostos por ordem cronológica.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A obra trata da importância da vivência diária na pesquisa acadêmica. Sua abordagem crítica é direta e mostra de forma prática a eficiência da pesquisa a partir das experiências vividas pelo pesquisador.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Este livro é publicado pelo Programa de Publicações da Pró-Reitoria de Extensão Universitária da Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho" (UNESP). Obs: Necessita de cadastro gratuito para acessar o livro.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem É a partir de uma perspectiva de "dupla revisão" que Vozes femininas da poesia latino-americana: Cecília e as poetisas uruguaias ressalta um outro perfil da escritora brasileira Cecília Meireles: a de grande estudiosa e conhecedora da produção de autoria feminina latino-americana. O livro tem como ponto de partida o ensaio ceciliano intitulado "Expressão feminina da poesia na América", que corresponde a uma conferência proferida no ano de 1956, na Universidade do Brasil, e que apresenta um panorama da expressão lírica feminina na América hispânica. As poetisas mencionadas por Cecília Meireles em seu texto, embora desempenhem um importante papel no cenário da produção poética de seus respectivos países, nem sempre integram a historiografia tradicional canônica; injustiça que o ensaio ceciliano corrige. Para mostrar a importância desse texto ceciliano em relação aos estudos feministas na América Latina são realizados alguns comentários sobre a crítica literária feminista, bem como acerca da vasta produção da autora de Romanceiro da Inconfidência. Além disso, estabelece-se um diálogo entre a escritora brasileira e as poetisas hispano-americanas. O livro demonstra o comprometimento de Cecília Meireles com a escrita feminina no contexto sóciocultural latino-americano. Acesso mediante a cadastro gratuito.

[ Acessar Conteúdo ]
Acervo da Unoeste e disponibilidade na web:

Selecione a área