Você está em: Unoeste » Rede de Bibliotecas » Periódicos on-line

Livros on-line

  • Disponível na web
  • Disponível no acervo e na web


Área: Design Gráfico



imagem O carácter ubíquo das tecnologias digitais teve como consequência a globalização e a partilha de conteúdos movidos pelo interesse comum. Hoje é difícil pensar em Internet sem globalização e um “computador” é já sinónimo de “Rede”. Nas duas décadas passadas não era assim. Neste contexto, culturas gráficas e ciberculturas têm partilhado sinergias. A Internet tornou-se um centro de partilha, participação, utilização e consumo de conteúdos relacionados com os gostos dos seus utilizadores. O mesmo sucede na banda desenhada e na animação japonesas, anteriormente menos acessíveis, e que agora pela Rede se disseminam, contagiando novos públicos. Além disso, o presente quadro tecnológico vem trazer novidades que alteram o modo de produção e consumo das obras de animação em especial, porque grande parte dos consumidores possui telemóvel, computador, acesso “on-line”, conhece pelo menos alguns videojogos e aprimora as suas competências técnicas em software.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A presença ubíqua de informação na sociedade contemporânea tem conduzido a uma rápida alteração de comportamentos do recetor face aos mass media. A premissa one to many dos média tradicionais evoluiu para uma self mass comunication (Castells, 2009), numa lógica de comunicação multimédia interpessoal e de ausência crescente do mediador entre as fontes e a notícia.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O livro vem preencher uma lacuna, pois foi escrito por autor brasileiro, o qual fundamentou o trabalho baseado na sua experiência profissional no desenvolvimento, gestão e avaliação de marcas brasileiras e internacionais. Ele parte da base e percorre todos os passos para um efetivo branding, questionando com exemplos da nossa realidade econômica. Para os iniciados, as primeiras partes servem como aquela aula de reforço de uma matéria fundamental para o vestibular do mercado.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Esta exposição apresenta o melhor da produção recente do design brasileiro, tendo como eixos condutores a inovação, de um lado, e a sustentabilidade, de outro. A inovação é parte indissociável do design e determinante para o desenvolvimento da economia hoje; a inclusão da palavra no título da mostra tem a intenção de reforçar e evidenciar esse valor. Já a sustentabilidade é um termo que se banalizou por seu uso destituído de real significado, apenas com fins de marketing. No entanto, esse atributo tem muito a ver com a forma com que os bens são projetados, produzidos e consumidos.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O Centro de Design Paraná apresenta o resultado do programa Criação Paraná 2005, com uma exposição e um catálogo dos 41 produtos desenvolvidos por 40 indústrias brasileiras.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Na Bienal Brasileira de Design 2010 Curitiba, consolida-se a evolução dessa iniciativa advinda do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, que encontrou no Movimento Brasil Competitivo - MBC o parceiro adequado para implementá-la, em conjunto com importantes agentes públicos e privados que interagem para construir um país mais competitivo.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A Bienal Brasileira de Design 2010 Curitiba resulta da exitosa cooperação entre o setor privado e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, no âmbito do Programa Brasileiro do Design.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem São aqui reunidos dez textos escritos com pretextos e propósitos muito diversos, sob formas e abordagens variadas. Daí a ideia de multiplicidade presente no título, a qual se reflete nas diferentes figuras, temas, estilos e dispositivos que são tratados. Das formas geométricas do cinema absoluto à mitologia dos super-heróis, dos rostos de Persona à starchild de 2001 – A Space Odyssey, dos exageros do gore às alucinações de Videodrome, da autoreflexividade em Fight Club à violência do gore, da ficção científica à filosofia, da adaptação ao experimentalismo, do documental ao hierático, do abstrato ao autoral, do fake ao blockbuster, do cinematógrafo ao digital, do interface ao desenho, da televisão ao holograma, de Bergman a Greenaway, de Kubrick a Cronenberg, são múltiplos os trajetos e vínculos que se podem efetuar nestes textos.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A comunidade científica é hoje o resultado inequívoco do modo como os últimos anos acentuaram exponencialmente o desafio de definir e estabilizar parâmetros que permitam que a comunicação e avaliação de ciência possam beneficiar da credibilidade necessária à sustentabilidade de um complexo paradigma. Pensado na sequência - e como resultado - de uma conferência internacional sobre Modelos de Publicação Emergentes organizada no âmbito de um projeto dedicado, justamente, à Comunicação de Ciência, este livro reflete e faz eco, a partir de treze ensaios, das preocupações dos milhares de investigadores, professores, estudantes e bibliotecários que sentem, sobre o seu trabalho (sobre o seu futuro), a pressão permanente de um sistema cujo intrincado agenciamento permanece, até certa medida, opaco.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem I first published this book in 1999, a few months before the The Matrix motion picture was released. This was my first book, and there’s no other like our first one. So in the past decade I have been updating this Cyberpunk 2.0: Fiction And Contemporary. And instead of seeing it turning obsolete I witnessed it become very real, present and obvious.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Nesta coletânea são apresentadas diferentes questões, métodos de abordagem e demandas para a aplicação da Ergonomia no Design. A evolução tecnológica observada nas últimas décadas proporcionou inúmeros benefícios para o aumento na qualidade de vida das pessoas, mas também resultou em vários problemas de interface tecnológica, os quais geram constrangimentos, acidentes, e frustração aos consumidores.Senha para download:clubedodesign

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Os textos deste livro analisam as representações da política e da mídia nas sociedades democráticas contemporâneas. A primeira parte da obra é dedicada aos aspectos cognitivos e retóricos do jornalismo e sua influência sobre as audiências.Senha para download:clubedodesign

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Hoje, estratégia de negócios é design, organização de informações é design, decoração de ambientes é design, cortar cabelo é design… será que tudo vai virar design? O Design Livre não é mais um “tipo” de design. Design Livre é uma atitude, uma forma de conceber o design e buscar um olhar abrangente e inclusivo, reconhecendo o design feito pelas pessoas.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem O objetivo desta pesquisa foi verificar até que ponto a formação acadêmica ministrada nos cursos de design responde aos anseios da sociedade e do setor produtivo e o de coletar subsídios para a discussão da situação do ensino de design no Brasil e elaboração de estratégias que permitam sua melhoria de maneira a ter profissionais adequados ao desenvolvimento de produtos que sejam também universais.Senha para download:clubedodesign

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Cedo assumimos o desiderato de questionar o actual momento de incerteza civilizacional que assola a Europa, tentando perceber o grau de envolvimento do design no destino colectivo. A transic¸a~o de um modelo poli´tico-social caracterizado pela prevale^ncia da cri´tica, de pendor democra´tico, que reivindicou e proporcionou a melhoria das condic¸o~es de vida a amplos sectores da populac¸a~o, para o estabelecimento progressivo de uma “aurea mediocritas” que sublima a hegemonia ideolo´gica e econo´mica e negligencia princi´pios fundamentais da condic¸a~o humana, arduamente conquistados, afigura-se preocupante. A Universidade na~o pode eximir-se de reflectir sobre este momento cultural que atravessamos.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem A palavra sustentabilidade traz-nos ecos, provenientes dos mais diversos qua- drantes, de um discurso contempora^neo centrado na deseja´vel evoluc¸a~o de uma conscie^ncia simultaneamente poli´tica, econo´mica, ambiental, social e, claro, cultural a propo´sito do impacto da presenc¸a e da acc¸a~o transformadoras do ser humano no mundo. Consequentemente, o conceito surge associado a` progressiva insiste^ncia nas pra´ticas que definem o – e se definem pelo – design.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem NTERFACE (s.f.) pressupõe, desde logo, um processo de interacção. É um conceito de conexão vulgarmente empregue na informática, electrónica, artes e comunicação, progressivamente em sentido mais virtual que material. Fenómeno óptico e háptico, eminentemente sinestésico, a interface expande a experiência e aumenta o sentido do real. Impõe-se culturalmente pelas múltiplas ligações e mediações tecnológicas e meta-tecnológicas que opera, conjugando opostos: o transparente e o opaco, o superficial e o profundo, o linear e o complexo. - See more at: http://www.livroslabcom.ubi.pt/book/111#sthash.ef5Cdglh.dpuf

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Este estudo apresenta um levantamento sobre o estado da arte do design brasileiro , com o objetivo de aumentar a compreensão deste campo e apontando possíveis caminhos para a força do setor de design. Isso também tem o objetivo de servir de base para o desenvolvimento de ações e políticas públicas voltadas para impulsionar a competitividade da indústria brasileira, com design como fator estratégico para ganhar quota de mercado .( Disponivel em Inglês )

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Este estudo apresenta um levantamento do estado da arte do design brasileiro, com o objetivo de ampliar a compreensão sobre esta área e apontar possíveis caminhos para o fortalecimento do setor do design. Propõe-se, ainda, a servir de base para a elaboração de ações e políticas públicas voltadas ao desenvolvimento da competitividade industrial brasileira tendo o design como fator estratégico para o ganho de mercado.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Em busca de um novo cinema português discorre acerca da gênese do referido movimento que se tornou conhecido por tratar-se de uma transformação ampla no modo de ver e fazer cinema em Portugal. Como se mostrou evidente, inúmeros debates acerca da função social da arte nasceram das discussões em torno do impasse estabelecido entre uma arte de viés modernista e outra, de feições neo-realistas. A dupla vinculação do cinema com a literatura, em Portugal, faz-se não apenas através de inúmeras adaptações literárias ao longo de todo o século XX, como também a partir da atuação de escritores e poetas no interior do campo cinematográfico. Argumentando através da atuação exatamente de alguns desses escritores, o objetivo central e estruturante deste trabalho é re-discutir e apresentar a “tetralogia do cinema neo-realista português” e re-pensar a gênese do novo cinema. O novo cinema, como se afirma aqui, nasce da efervescência da vida cultural portuguesa ao longo dos anos 1950, contrariando o ponto de vista consensual, que percebe a mencionada década como os anos negros do cinema português. A experiência do cineclubismo, a enorme difusão e veiculação das revistas especializadas, bem como a atuação de Manuel Guimarães, Alves Redol e Leão Penedo são o ponto de partida para o debate em torno das feições de um novo cinema que se dá, sobretudo, ao longo dos anos 1950 e dos anos 1960. Para tanto, o trabalho reveste-se de uma componente histórica que é imprescindível, apesar do interesse maior estar contido na interpretação e, sobretudo, na avaliação destes dados.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Dedicados aos temas da Informação, Identidades e Cidadania, os Congressos de Ciências da Comunicação na Covilhã constituíram um momento privilegiado de encontro das comunidades académicas lusófona e ibérica, fazendo público o estado da pesquisa ciéntifica nos diferentes países e lançando pontes para internacionalização da respectiva investigação. Ao mesmo tempo, contribuíram de forma importante, para a consolidação, tanto interna como externa - relativamente à comunidade científica, ao mundo académico e ao próprio púplico em geral das Ciências da Comunicação como campo académico e científico em Portugal.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem The future begins here, as the FPS becomes an interface model for new media products to come. No longer is enough to see things from the outside, the user-player wants to get inside cyberspace, to become the character. In this way we prefer playing to be “there”, on the virtual ground, left to fate. Either we’re armed or outgunned, outnumbered or betrayed, but in the end, as most of the researches point out: in FPS videogames, players actually become much more space-oriented and fit for survival. The Subjective Cyberspace provided by the FPS is our new media ground, and it will inevitably surpass the borders of gaming.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Neste livro, em que fazem essa previsão, calcados em ampla argumentação, os autores expõem um cenário abrangente do design no Brasil e no mundo, de suas origens históricas aos os dias atuais e do que se espera da área para o futuro. Eles analisam como o design se desenvolveu, de que modo foi sendo moldado ao longo do tempo, suas aplicações e implicações nos campos econômico, tecnológico, social e ambiental, além do papel do designer enquanto profissional criativo e científico. Obs: Necessário fazer um cadastro gratuito para ter acesso ao livro.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Páginas de uma história recente poderia ser o título do estudo que aqui iniciamos. Páginas que analisam a inquietude, a poesia, a liberdade e o olhar de uma nova geração de cineastas portugueses. Páginas que dão a conhecer o trabalho de um grupo de realizadores e realizadoras que filma com escassos recursos, contra o tempo e o esquecimento.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Numa civilização da imagem digital podemos reter o carácter publicitário das novidades. A onda digital atravessa discursos, mecanismos, instituições e promove-se como que um reclamo luminoso e incandescente. O néon digital é o que contemplamos na actualidade, momento este em que nada fica de fora dos ciberespaços e tudo por lá promete passar. Dos videojogos à Inteligência Artificial, da Realidade Virtual ao Homem-Máquina, do Ciberespaço Acústico à Fotografia Digital o néon adverte que o digital veio mesmo para "ficar". A grande questão não é "se entendemos o que a comunicação electrónica nos apresenta", mas sim, "se antes de mais reparamos que a comunicação digital já faz parte da nossa vida". Todas as inovações nos parecem normais por estarmos dentro dos media, directa ou indirectamente. O que fica do remoinho da técnica voraz e da cultura profunda é a promoção eléctrica na era da cibercultura supersónica.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Volume 2 do Livro de Actas do congresso da Sopcom. Dedicados aos temas da Informação, Identidades e Cidadania, os Congressos de Ciências da Comunicação na Covilhã constituíram um momento privilegiado de encontro das comunidades académicas lusófona e ibérica, fazendo público o estado da pesquisa científica nos diferentes países e lançando pontes para a internacionalização da respectiva investigação. Ao mesmo tempo, contribuíram de forma importante para a consolidação, tanto interna como externa – relativamente à comunidade científica, ao mundo académico e ao próprio público em geral – das Ciências da Comunicação como campo académico e científico em Portugal.O Volume II, intitulado Teorias e Estratégias Discursivas, compreende as comunicações referentes a Teorias daComunicação (Capítulo I), Semiótica e Texto (Cap ítulo II), Retórica e Argumentação (Capítulo III) e Publicidade e Relações Públicas (Capítulo IV).

[ Acessar Conteúdo ]

imagem On a popular level, culture turns out to be a constant innovative environment. Japan is the country that exports anime, an unquestionable industrial might. Across new media, such as portable media platforms, videogames, digital films or the commercials available on-line, the audience participates and consumes Japanese culture. Animation artworks bring consumers to know their predecessor: the comic, which remains a blooming medium. From advertising to videoclips, throughout new digital formats, the audience comes across new forms of narrative presentation that balance between the literary and the cinematic types.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem As VI Jornadas de Cinema em Português dão continuidade a um projeto desenvolvido pelo Labcom – Laboratório de Comunicação On-Line, na linha de investigação dedicada ao cinema, e visam promover o encontro regular de estudiosos e investigadores do cinema que é feito em Portugal e no universo de países que partilham a língua portuguesa

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Não apenas no cinema, não apenas na televisão, mas como um fundo sígnico e cerne temático, a violência atravessa todas as formas de expressão, identifica inúmeros ethos e revolve incontáveis pathos, imiscui-se em vastas visões do mundo e inquieta, de uma ou outra forma, todas as almas receptoras. Há uma tradição de intimidade entre as filosofias da acção e as práticas artísticas, entre o acontecimento e a sua mediação estética ou jornalística. A arte especula sobre o mundo, o agir e o devir, representa-os, apresenta-os, reflecte-os, condiciona-os. Nesse processo bidireccional (poderíamos dizer dialéctico, uma dialéctica entre factos e narrativas que parece nunca encontrar termo ou clausura), a violência não é factor de importância menor; pelo contrário, é paradoxo, questão, quase imposição e tentação.

[ Acessar Conteúdo ]

imagem Volume 3 do Livro das actas do III Sopcom, VI Lusocom, II Ibérico - Visões Disciplinares. Dedicados aos temas da Informação, Identidades e Cidadania, os Congressos de Ciências da Comunicação na Covilhã constituíram um momento privilegiado de encontro das comunidades académicas lusófona e ibérica, fazendo público o estado da pesquisa científica nos diferentes países e lançando pontes para a internacionalização da respectiva investigação. Ao mesmo tempo, contribuíram de forma importante para a consolidação, tanto interna como externa–relativamente à comunidade científica, ao mundo académico e ao próprio público em geral – das Ciências da Comunicação como campo académico e científico em Portugal.

[ Acessar Conteúdo ]
Acervo da Unoeste e disponibilidade na web:

Selecione a área