Universidade do Oeste Paulista

Área do Aluno/Professor

Área do
Aluno/Professor

INFORME CORRETAMENTE SEU RA/MATRÍCULA

ENCONTRE SEU CURSO
FAÇA UMA BUSCA NO SITE
Sua opinião é muito importante. Avalie a página de notícias.
20/03/2017

Laboratórios mantêm jejum para avaliação do perfil lipídico

Coleta sem jejum somente deve ser realizada quando houver a solicitação do médico

Foto: Mariana Tavares Laboratórios mantêm jejum para avaliação do perfil lipídico
Professora Christiane com as alunas de Biomedicina que pesquisaram sobre o tema, Carolina e Brunna

Preciso manter o jejum para o exame de sangue? Essa dúvida tornou-se frequente após publicações na mídia sobre a possibilidade de a avaliação do perfil lipídico (testes laboratoriais para determinar dosagens de colesterol total, HDL, LDL e triglicerídeos) ser feita após uma refeição, ou seja, sem o jejum. Em decorrência disso, as alunas Carolina Lúcio Moreira e Brunna Nepomuceno Colatto, do 8º termo de Biomedicina da Unoeste, supervisionadas pela professora Christiane Martinez Hungaro, fizeram uma pesquisa bibliográfica para atualizar o tema e constataram que a recomendação das sociedades médicas permanece a mesma: jejum de 12 a 14 horas para esses exames quando não houver solicitação médica contrária.

Conforme evidenciado na pesquisa, a flexibilização do jejum tem algumas vantagens: amplia os horários que os pacientes podem ir ao laboratório, reduzindo o fluxo intenso no período da manhã; diminui o risco de hipoglicemia em gestantes, crianças, idosos e diabéticos; além da constatação da situação real do perfil lipídico, pois o estado alimentado predomina durante a maior parte do dia. De acordo com dados levantados na pesquisa, as determinações do colesterol total, HDL-C, não-HDL-C e LDL-C não mudam significativamente se realizadas depois das refeições (no estado pós-prandial), e no jejum.

“Seguimos um consenso brasileiro de normatização, de acordo com a recomendação das sociedades médicas, e que atualmente estabelece que a coleta sem jejum somente deve ser realizada quando houver a solicitação do médico. Sem esse pedido médico, mantém-se o jejum. Importante frisar que a informação de jejum ou não deve sempre estar informada no laudo pelo laboratório”, reforça a professora. E se na solicitação do médico para exame de um paciente constar um tempo específico de jejum, o laboratório deverá seguir a recomendação. Quanto aos demais exames, as pesquisadoras informam que o procedimento continua o mesmo, até que estudos definam o grau de influência da alimentação sobre os resultados.

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste


TODAS AS NOTÍCIAS
Alguma mensagem