Universidade do Oeste Paulista

Área do Aluno/Professor

Área do
Aluno/Professor

INFORME CORRETAMENTE SEU RA/MATRÍCULA

ENCONTRE SEU CURSO
FAÇA UMA BUSCA NO SITE
Sua opinião é muito importante. Avalie a página de notícias.
18/04/2017

Conferencista defende modelo híbrido para o ensino superior

Estudioso acredita na eficiência desse ideal, associado às metodologias ativas de aprendizagem e aula invertida

Foto: João Paulo Barbosa Conferencista defende modelo híbrido para o ensino superior
Gustavo Hoffmann durante capacitação no Nead


Atualizada em 20/04/2017

Na busca de formas eficientes de fazer educação superior, o Dr. Gustavo Hoffmann está convencido de que o ensino híbrido (presencial e a distância) é uma solução eficiente para melhor resultado, incluindo a aplicação de metodologias ativas de aprendizagem. Procedimento associado ao processo de aula invertida, na qual o professor troca a aula expositiva por problematizações. Assim, o aluno passa a ser agente ativo do processo mediante a disponibilização on-line de conteúdo, sendo o estudo feito em casa e a tarefa na escola. O  que resulta em mais satisfação e melhor aprendizagem.

Procedente da área de saúde, mas estimulado pela docência e gestão no ensino superior, nos últimos cinco anos Hoffmann tem se dedicado aos estudos sobre inovação educacional, buscando experiências europeias na Inglaterra, Espanha e Portugal; norte-americanas na Califórnia, Nova Iorque e Boston; e sul-americana no Chile. Vivências aplicadas em pesquisa no Brasil, fazendo comparação com o modelo tradicional de aulas expositivas. Para ele, a tendência brasileira é que o ensino presencial tenha um percentual significativo de ensino a distância e o inverso também.

Foto: João Paulo Barbosa Participantes da capacitação fazem uso de dispositivos móveis
Participantes da capacitação fazem uso de dispositivos móveis
“Acesso a conteúdo o aluno tem em qualquer lugar, mas a problematização é na escola, junto ao professor”, comentou para dizer que as metodologias ativas podem ser aplicadas com diferentes técnicas. Uma delas é o Aprendizado Baseado em Problemas (PBL), mundialmente conhecido como Problem-Based Learning, pelo qual a partir de um problema o estudo é baseado na busca de solução. São questões que Hoffmann tratou em dois momentos nesta terça-feira (18) na Unoeste: primeiro, para uma conferência para coordenadores e professores vinculados aos Núcleos Docentes Estruturantes (NDEs) de cursos do ensino presencial; e depois para o ensino a distância.

Pela manhã, esteve na reunião mensal da Pró-reitoria Acadêmica (Proacad) e que também envolveu as pró-reitorias Administrativa, de Pesquisa e Pós-graduação e de Extensão e Ação Comunitária. Encontro realizado no Auditório Azaleia, no campus II da universidade, no qual discorreu sobre as tendências do ensino superior no Brasil e no mundo, a partir das metodologias ativas de aprendizagem, com foco no ensino híbrido e na sala de aula invertida. À tarde, em sala do Núcleo de Educação a Distância (Nead), também no campus II, tratou dos mesmos assuntos, porém em caráter de capacitação do método Peer Instruction, ou seja: instrução aos pares.

A estada de Hoffmann na Unoeste ocorreu devido ao apoio da área de Adoção de Soluções Educacionais do Grupo A Educação, do qual o Nead adquire conteúdo para educação a distância. Na capacitação metodológica foi aplicado o método de ensino criado pelo professor Eric Mazur, do Departamento de Física da Universidade de Harvard, nos EUA, a mesma universidade onde Hoffmann tem feito estudos na Academia de Inovação.

Mineiro formado em fisioterapia e especialista em tratamento de lesões esportivas, seu mestrado foi em ortopedia e traumatologia e o doutorado em biomecânica. Foi dar aulas e quando coordenou um curso de fisioterapia na cidade de Bom Despacho, a 150 km de Belo Horizonte, onde mora, começou a se interessar pela educação no ensino superior e desde então viveu diferentes experiências no país e no exterior; entre elas a de Harvard, estudando metodologias ativas de aprendizagem (Active Learning), ensino híbrido (Blended Learning) e sala de aula invertida (Flipped Classroom).

A recepção a Hoffmann na Unoeste foi feita pelos pró-reitores Guilherme de Oliveira Lima Carapeba (Administrativo), José Eduardo Creste (Acadêmico), Adilson Eduardo Guelfi (Pesquisa e Pós-graduação, e Extensão Comunitária), e pelas coordenadoras pedagógicas da universidade Aparecida Darcy Alessi Delfim, e geral do Nead, Sonia Sanae Sato. 

GALERIA DE FOTOS

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste


TODAS AS NOTÍCIAS
Alguma mensagem