CAMPUS:
Telefone 0800 771 5533
Você está em: Notícias

Engenharia Mecânica foge do convencional e atrai estudantes

Forte embasamento teórico e prático atrelado à estrutura de ponta busca formação de profissionais de excelência


email facebook twitter whatsapp

Foto: Departamento de Comunicação/Unoeste Engenharia Mecânica foge do convencional e atrai estudantes
Laboratório de Máquinas possibilita aos alunos experiências como o acionamento de motores industriais

“O curso de Engenharia Mecânica da Unoeste é o único em andamento em toda a região. Pouquíssimas universidades particulares no país têm o porte e os ideais para oferecer um curso como esse”. A afirmação é do coordenador da graduação, Dr. César Daltoé Berci. Segundo ele, a graduação foge do convencional, já que é baseada em premissas diferenciadas. “Presamos, verdadeiramente, pela excelência dos profissionais que iremos formar”.
 
No primeiro termo, os acadêmicos Cesar Augusto Maria Zanutto e Henrique Claro Xavier acreditam que a graduação é a porta de entrada para a realização profissional. “Minha afinidade por exatas começou desde muito cedo e sempre me destaquei nessa área. Quando estava no 3º ano do ensino médio, descobri que a Unoeste iria ofertar Engenharia Mecânica e como gosto de ser pioneiro nas coisas, prestei o vestibular. Algumas semanas depois de descobrir que esse novo curso começaria a ser ministrado na universidade, meu antigo colégio fez uma visita à instituição. Me apaixonei pela infraestrutura e a partir daquele momento soube que estudaria aqui”, lembra Zanutto.
 
Já Xavier revela que, desde muito novo, sempre foi fascinado pela mecânica e o automobilismo. “Quando assistia competições como a Fórmula 1 ou a StockCar, ficava encantado com toda aquela engenharia por trás dos métodos. Gosto muito da área de motores, seja a combustão ou elétrico e, também, de aerodinâmica. Aos 13 anos, iniciei o meu caminho fazendo alguns cursos na área da mecânica e, em 2017, comecei a trabalhar na área”, diz.
 
Ele conta ainda que essa experiência foi essencial para a escolha pela graduação. “Lidávamos com problemas o dia todo e essa vontade de solucionar problemas e de criar projetos, visando melhorar as peças e componentes, me impulsionou a estudar. A infraestrutura da Unoeste me motivou na escolha pela instituição. Para mim, ela é uma das universidades mais renomadas no Brasil que busca a sustentabilidade e possui ótimos laboratórios”.
 
Existem outros aspectos que tornam a Engenharia Mecânica da Unoeste diferenciada. “Enquanto muitas instituições reduzem o número das disciplinas de cálculo para evitar a evasão, nós ampliamos o currículo do aluno nessa área, por entender que isso irá lhe proporcionar um entendimento mais amplo e consistente dos fenômenos físicos. Exemplificando, a maioria das IES particulares tem Cálculo 1, 2 e, algumas até o 3. Aqui, oferecemos Fundamentos de Cálculo, os Cálculos 1, 2, 3 e 4, além do Cálculo Complexo, ou seja, mais que o dobro do comum. Essa complexidade está atraindo estudantes competitivos, focados e determinados, que por sua própria natureza, são movidos pelo desafio”, avalia Berci.
 
Sobre a infraestrutura da graduação que é um dos pontos mencionados pelos acadêmicos, o coordenador declara que ela é incomparável em se tratando de uma análise de nível regional, já que a Unoeste está no seleto grupo das melhores universidades do Brasil. “Contamos com os Laboratórios de Eletrônica e Telecomunicações, de Sistemas Elétricos e de Potência, de Métodos Computacionais e Simulação, de Máquinas, de Instrumentação e Eletroeletrônica e, além disso, estamos montando o de Fabricação Mecânica. Além de assistirem as aulas, os alunos têm a oportunidade de desenvolverem seus próprios projetos, pois esses locais não são apenas para ensino, já que temos estrutura e equipamentos que os tornam verdadeiros ambientes de pesquisa”.
 
Foto: Departamento de Comunicação/Unoeste Laboratório de Eletrônica e Telecomunicações tem equipamentos de última geração para o desenvolvimento de iniciação científica.
Laboratório de Eletrônica e Telecomunicações tem equipamentos de última geração para o desenvolvimento de iniciação científica.

Berci acrescenta que os laboratórios ficam abertos o dia todo e são muito frequentados pelos universitários. “Esse modelo de utilização só é visto hoje nas universidades federais e proporciona aos alunos, a real oportunidade de adquirir competências de cunho prático que não podem ser ensinadas em sala de aula”. Lembra também, da biblioteca que disponibiliza um amplo acervo. “Devo frisar que, em virtude da proposta do curso, não utilizamos apostilas e, sim, livros didáticos, assim, a utilização da biblioteca pelos nossos alunos é muito intensa”.
 
Na Unoeste, a formação do engenheiro mecânico é de cunho estritamente tecnológico. “Estamos moldando profissionais com habilidades para enfrentar qualquer futuro incerto que se apresente. Além da mecânica, eles aprendem computação, eletrônica e eletrônica embarcada, de tal forma que, independentemente das fontes de energia e movimento ou do nível de automação dos sistemas mecânicos, nossos egressos terão competências não só para se manter no mercado e, sim, para continuar criando mediante o cenário tecnológico”, expõe Berci.
 
O professor destaca ainda o desenvolvimento de iniciativas diferenciadas e integradoras. “Com a Batalha de Robôs já tivemos várias máquinas competindo em nível mais elevado e oferecemos suporte para que os alunos se superem ainda mais, assim como na disputa das bicicletas elétricas, os estudantes também desenvolveram projetos muito bons”.
 
Esses e outros aspectos correspondem às expectativas dos universitários que estão otimistas quanto à futura atuação. “Desde o início, percebi que o corpo docente é extremamente qualificado, o que só aumentou a certeza que esse curso é ideal para mim. Já no 1º termo tenho disciplinas práticas como Introdução à Engenharia, onde construímos uma bicicleta de tração elétrica. Essa experiência fez com que eu adquirisse um senso de realização, um grande conhecimento prático e habilidade para trabalhar em grupo”, completa Zanutto.
 
Para Xavier, a experiência acadêmica está sendo ótima. “O que mais me chama a atenção é a relação que possuímos com os professores e a coordenação, com muito apoio e incentivo. O método de ensino, que agrega teoria e prática, está atrelado à infraestrutura e nos impulsiona a querer mais e mais”, finaliza.
 
VestVerão
O curso de Engenharia Mecânica é um dos oferecidos nop processo seletivo da Unoeste, que acontecerá no dia 25 de janeiro de 2020. As inscrições ainda podem ser feitas exclusivamente pelo site. São mais de 60 cursos presenciais em todas as áreas do conhecimento.

GALERIA DE FOTOS

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem