CAMPUS:
Telefone 0800 771 5533
Você está em: Notícias

Pesquisa da Odontologia recebe menção honrosa em congresso

Estudo analisou influência da fluoxetina na maturação do colágeno em doença periodontal


email facebook twitter whatsapp

Foto: Mariana Tavares Pesquisa da Odontologia recebe menção honrosa em congresso
A aluna Camila com a professora Adrieli, orientadora do estudo

As doenças periodontais são um dos maiores fatores da perda dos dentes de adultos e até de crianças. Trata-se de uma doença infecto-inflamatória que afeta desde a gengiva até o osso que envolve o dente. Por conta da alta prevalência na sociedade, pesquisas sobre o tema são de grande importância para as áreas clínicas e acadêmicas da Odontologia.

Foi com a apresentação oral do estudo sobre esse assunto que a aluna Camila Teixeira do Nascimento, do 9º termo de Odontologia da Unoeste, recebeu menção honrosa na categoria ‘trabalhos de graduação’, no Congresso da Faculdade de Odontologia da Unesp, realizado no fim de semana passado, em Araçatuba (SP). A pesquisa intitulada “Avaliação da influência da fluoxetina na maturação do colágeno em doença periodontal experimental em ratos” é fruto de trabalho que envolve outros acadêmicos da graduação.

Para a professora orientadora Adrieli de Paula Couto Neves, a menção honrosa eleva a Unoeste e mostra a qualidade dos trabalhos desenvolvidos na Odontologia, bem como a qualidade da formação dos estudantes. “A boa apresentação oral da Camila foi fundamental para conquistarmos esse reconhecimento, porque ela quem foi nos representar”.

A docente explica que os profissionais buscam por tratamentos eficazes da doença periodontal. No estudo apresentado, os pesquisadores analisaram a influência da fluoxetina, um antidepressivo muito utilizado mundialmente e que tem demonstrando um efeito anti-inflamatório. “Temos pouquíssimos estudos avaliando esse medicamento na doença, por isso fizemos novas análises, e uma delas foi apresentada no congresso, onde colocamos alguns animais para receber a fluoxetina e avaliar se houve mais ou menos perda de colágeno”, pontua a professora.

Foto: Cedida Camila durante a apresentação oral no Congresso da Faculdade de Odontologia da Unesp de Araçatuba
Camila durante a apresentação oral no Congresso da Faculdade de Odontologia da Unesp de Araçatuba
Apesar de não ter apresentado diferenças nas estatísticas, Adrieli salienta que o rigor científico e apresentação dos resultados tornaram o trabalho valioso no meio acadêmico, inclusive dando novas ideias para próximas pesquisas.

Para Camila, essa conquista poderá também contribuir para um futuro ingresso em mestrado e doutorado. “Já participei de outros congressos, mas foi a primeira vez que ganhei a premiação. Fiquei muito feliz, pois pretendo seguir carreira acadêmica e esse reconhecimento significa muito no currículo”. Outro ponto destacado pela estudante é a experiência científica possibilitada na graduação da Unoeste. “Sou muito grata em fazer parte deste curso, porque além de investir nas habilidades clínicas do aluno, também permite que a gente fique próximo da área de pesquisa”, completa.

Pesquisadores – Além da Camila e da professora Adrieli, o estudo foi desenvolvido pelos estudantes Jennifer Tailice Albuquerque, Milena Pádua Pereira, Marcella Ravazzi Oliveira, Heitor Ceolin de Araújo e pela docente Carolina Santinoni.

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem