CAMPUS:
Telefone 0800 771 5533
Você está em: Notícias

Estudo ambiental é visto como modelo para as universidades

Pesquisa que avalia percepção e relevância em estratégias mostra que os universitários estão abertos à colaboração


email facebook twitter whatsapp

Foto: João Paulo Barbosa Estudo ambiental é visto como modelo para as universidades
Aline Blasechi: estudo modelo para instituições de ensino superior

Pesquisa sobre a percepção ambiental no contexto universitário e a relevância de ações estratégicas na gestão organizacional oferece informações relevantes, ao ponto de receber do doutor em comunicação social Marcelo Pereira da Silva a constatação de que o estudo serve como modelo para políticas e filosofias de universidades e outras instituições de ensino superior no Brasil.

Desenvolvido junto ao Programa de Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, o estudo mostrou aspectos positivos na percepção de estudantes ingressantes e de veteranos dos cursos de Ciências Biológicas e Engenharia Ambiental, tanto do que pode ser feito quanto o que já é feito na Unoeste, a instituição objeto do estudo.

Com aderência em gestão ambiental, comunidade organizacional, comunicação e ecosofia (ecologia e filosofia), a pesquisa foi realizada pela jornalista Aline Paiva Blasechi Garcia, orientada pela Dra. Alba Regina Azevedo Arana. A defesa pública da dissertação ocorreu na tarde desta terça-feira (20), avaliada pela Dra. Maíra Rodrigues Uliana e o Dr. Silva, convidado junto à Universidade Federal do Maranhão.

A produção científica foi contextualizada na sociedade capitalista e o mundo pós-moderno com as suas consequentes transformações sociais, marcadas pela sociedade de consumo e a cultura do imediatismo. Também perpassou pelo comportamento humano e os maiores impactos no meio ambiente. Outro aspecto foi da relação entre comunicação e questões ambientais, com destaque para a evolução das mídias digitais.

O estudo ainda abordou a legislação vigente e apresentou números das instituições de ensino superior no Brasil. São 2152 privadas e 296 públicas que abrigam 17,2% dos jovens brasileiros, de 18 a 24 anos de idade; sendo que neste nível de ensino também se insere a preocupação com a educação ambiental. Diante de todo contexto levantado em bibliografia e documentos é que foram aplicadas pesquisas com os estudantes.

Aos ingressantes de 39 cursos no segundo semestre de 2018 foram feitas duas perguntas inseridas no levantamento do perfil do estudante, feito pela Comissão Própria da Avaliação (CPA) da Unoeste.  Junto aos veteranos de biologia e engenharia ambiental foi aplicado questionário, enviado e devolvido por e-mail. A estratificação apresentou dados que proporcionaram ampla leitura das respostas dadas por 690 estudantes.
Foto: João Paulo Barbosa Aline Blasechi entre a avaliadora Dra. Maíra e a orientadora Dra. Alba
Aline Blasechi entre a avaliadora Dra. Maíra e a orientadora Dra. Alba

Alguns desses dados chamaram um pouco mais a atenção, tais como os fatos de 55% dos ingressantes, com idade entre 17 e 19 anos, terem percepção ambiental sobre as ações na universidade, mesmo tendo recém-chegado ao ambiente acadêmico; 38% têm o evitar desperdício de água como o principal compromisso com o meio ambiente; e 39% preferem receber informações por e-mail. Com relação aos veteranos, 64% conhecem alguma prática de sustentabilidade da Unoeste.

O maior percentual foi verificado sobre a importância do desenvolvimento de ações sustentáveis dentro do ambiente universitário, realizado pela comunidade estudantil ou pela própria universidade: 99%. Quanto a importância de trabalhar ou estudar em empresa ou instituição que tem preocupação ambiental, 75% responderam ser muito importante.

No âmbito das plataformas de comunicação, 57% preferem a internet e 32% acessam o site da Unoeste. No geral, 97% têm o aparelho celular como meio mais utilizado de obter informações. Sobre a percepção ambiental, chama mais a atenção do estudante a geração de energia solar, sendo que a universidade inaugurou em março deste ano a sua usina solar fotovoltaica, que é a maior do estado de São Paulo em geração distribuída de energia elétrica.

Com relação à relevância de ações estratégias na gestão organizacional, os estudantes gostariam de ver implementadas também a redução do consumo de energia, coleta seletiva e racionalização do material de consumo, dentre outras. A autora do estudo ofereceu na dissertação ampla gama de informações que evidenciam o compromisso da Unoeste com as questões ambientais e o interesse de sua comunidade estudantil em opinar e também contribuir.

Ao avaliar a riqueza de dados contidos na dissertação, associados à consistência teórica, foi que o Dr. Silva, em sua participação por videoconferência, manifestou o seu entendimento que o estudo em questão é um modelo a ser utilizado por outras instituições de ensino superior pelo Brasil afora, seja privada ou pública. Aline Blasechi foi aprovada para receber o título de mestre em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional.

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem