CAMPUS:
Telefone 0800 771 5533
Você está em: Notícias

Alunos de Arquitetura priorizam prática através de viagens

Projeto já proporcionou visitas a duas cidades diferentes e países da América Latina já estão no roteiro para 2020


email facebook twitter whatsapp

Foto: Cedida Alunos de Arquitetura priorizam prática através de viagens
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP foi o primeiro local de visita em São Paulo (SP)

Com o objetivo de aproximar o aluno da experimentação prática dos conteúdos teóricos em sala de aula, a professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unoeste Korina Aparecida Teixeira Ferreira da Costa, em parceria com a docente Fabrícia Dias da Cunha Borges, criou o projeto Núcleo de Viagens Acadêmicas – A cidade como escola. As atividades, que tiveram início no segundo semestre de 2018, a princípio em caráter experimental, através de uma viagem a São Paulo (SP), obteve sua formalização como Núcleo de Ensino neste semestre. Depois disso, duas viagens já foram realizadas e mais duas já estão agendadas.
 
De acordo com Korina, o projeto tem parceria com o curso superior de tecnologia em Design de Interiores, pois se entende que para a arquitetura e o design é imprescindível a vivência do espaço arquitetural, que fomenta a compreensão das relações urbanas, de ambiência, escala e dimensão. “As viagens visam contribuir diretamente na construção da bagagem e do repertório dos estudantes, constituindo-se como uma escola itinerante, promovendo a integração e troca de conhecimentos entre os acadêmicos de diferentes termos”, explica.
 
A professora conta que a primeira viagem a São Paulo foi carinhosamente apelidada de “Andarilho Viagens Acadêmicas” e teve a duração de três dias. “Contemplamos obras de períodos variados, começando pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), uma das mais significantes obras de Vilanova Artigas. Ali contamos com a participação do neto dele, o arquiteto e urbanista Marco Artigas Forti, que trouxe uma importante reflexão sobre os locais”, diz.
 
Além da FAU, o grupo visitou também, através de estudos e vivência urbano-espacial, o Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia (MuBE), a Pinacoteca , o Sesc 24 de Maio, o Anfiteatro do Ibirapuera e o Memorial da América Latina, de Oscar Niemeyer. “Além disso, visitamos o Museu de Arte de São Paulo (Masp), o Museu de Arte Contemporânea (Mac), o Sesc Pompeia e o centro histórico da cidade, cujos destaques foram: a Catedral da Sé e a Estação da Luz”, conta.
 
A segunda viagem, realizada no último fim de semana, foi feita à cidade paranaense de Londrina. Lá, os estudantes tiveram a oportunidade de conhecer todo o patrimônio arquitetônico modernista voltado aos conteúdos pertinentes às disciplinas Arquitetura Contemporânea Brasileira e Patrimônio, Restauração e Técnicas Retrospectivas. “Nesta viagem tivemos a companhia da arquiteta e urbanista Camila Silva de Oliveira, nossa convidada da cidade. Ela é pesquisadora da área de patrimônio e sua participação foi muito significativa para as discussões propostas”, salienta Korina.
 
O roteiro em Londrina teve início no Jardim Botânico, seguido por visitas técnicas a três obras de Vilanova Artigas, sendo elas o Museu de Arte – antiga Rodoviária, o Cine Teatro Ouro Verde e a antiga Casa da Criança – atual Secretaria da Cultura.
 
Para a acadêmica do 7º termo do curso de Arquitetura e Urbanismo Camila Gonçalves de Souza seu interesse pelo projeto Andarilho surgiu quando durante uma aula a professora Korina informou da viagem a São Paulo, que coincidia exatamente com o assunto que estava estudando na época, em novembro do ano passado. “Como futuros arquitetos, é muito importante que tenhamos a experiência de vivenciar a arquitetura que foi produzida antes de nós, para compreendermos e usarmos essa bagagem como referência nas obras que possamos vir a projetar no futuro”, comenta.
 
João Luiz de Lima Júnior, acadêmico do 8º termo, também esteve nas viagens de São Paulo e Londrina. De acordo com ele, este contato com a arquitetura fora da cidade onde estudam influenciou bastante em seu conhecimento. “Como estávamos todos juntos, a troca de informações foi muito intensa. O projeto é muito interessante e o custo para o estudante acaba saindo muito baixo, já que vamos com veículos da própria universidade. Nossos professores fazem questão de nos ajudar também neste ponto, sobre qual a quantidade de dinheiro que precisamos para cada lugar, sobre a hospedagem, enfim, eles nos auxiliam do começo ao fim da experiência”.
 
Próximas viagens – Entre os dias 27 de junho e 1º de julho já está programada uma viagem a Curitiba (PR) e cidades históricas. Lá, os estudante terão a oportunidade de conhecer os parques e obras arquitetônicas de diferentes épocas, assim como visitar a cidade de Lapa (PR), local de grande relevância histórica.
 
Ainda sem datas definidas, o Núcleo já programou também mais uma viagem à capital paulista, com prioridade dessa vez para a Bienal de Arquitetura de São Paulo, além de visitas a obras do Modernismo/Brutalismo, cujo foco será a produção da arquiteta Lina Bo Bardi. “Também em planejamento, temos uma viagem para a América Latina, que acontecerá provavelmente em janeiro de 2020. Essa será mais direcionada aos alunos que estão se formando”, finaliza Korina.

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem