CAMPUS:
0800 771 5533
Aprender Unoeste
Você está em: Notícias

Envelhecimento pode ser com autonomia e independência

Dia Nacional do Idoso, comemorado nesta quinta-feira, leva população a refletir sobre ações que possibilitam a inclusão desse público


email facebook twitter whatsapp

Foto: Arquivo/Marketing Unoeste Envelhecimento pode ser com autonomia e independência
Unoeste realiza projetos de extensão que buscam proporcionar uma melhoria na qualidade de vida dos idosos

Envelhecer nada mais é que um fenômeno biológico. Difícil de ser definida, a velhice modifica a relação que a pessoa tem com a sua própria história, com os outros e com o mundo. Fato é que o envelhecimento da população é uma realidade vivenciada por todos os países, inclusive no Brasil, onde o número de idosos soma 13% da população geral, sendo o sexto país com maior número no mundo. Segundo dados de 2018, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2055 a participação de idosos na soma geral da população será maior que a de crianças e jovens até 29 anos.

Presidente Prudente (SP) tem cerca de 220 mil habitantes, dos quais 17,69% possuem 60 anos ou mais, de acordo com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade). No estado, a expectativa de vida é de 79 anos para mulheres e 73 para homens. Com isso, a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) detalham que o desenvolvimento só será possível se todas as idades forem inseridas em ações de inclusão.

Em 1º de outubro comemora-se o Dia Nacional do Idoso. A data visa refletir sobre ações que possibilitam a articulação e promoção da inclusão desse público. Para a professora do curso de Enfermagem da Unoeste Dra. Larissa Sapucaia Esteves é preciso pensar em condições que proporcionem um envelhecimento com qualidade de vida. “O nosso organismo sofre desgastes e temos perdas biológicas, que é normal. Quando envelhecemos vamos perdendo nossa capacidade funcional e cognitiva, ou seja, nossa capacidade de pensar e de se locomover, o que resulta na falta de autonomia para desempenhar ações simples”, explica.

Larissa ainda pontua que sem a capacidade de pensar e se locomover ao envelhecer, as pessoas poderão se tornar dependentes de terceiros, além de não conseguirem usufruir das conquistas que tiveram ao longo da vida. “Quando chegamos na velhice a gente passa a precisar com maior frequência da presença de nossas famílias e do sistema de saúde, a preocupação é que as famílias estão menores, o que pode ocorrer uma insuficiência familiar, e também não sabemos se vamos ter o apoio do estado devido à quantidade de pessoas que precisarão dos atendimentos”, ressalta.

Dicas e orientações para a família de idosos

Alguns cuidados devem ser tomados por familiares de pessoas da faixa etária acima dos 60 anos. O professor do curso de Medicina Dr. Sergio Munhoz Pereira ressalta que modificações precisam ser feitas. “Algumas não são tão simples, mas valem a pena, considerando que fraturas são um transtorno ainda maior. Prevenir é o melhor presente para nossos pais, acredite!”, pontua o docente que também listou dicas importantes para prevenir quedas e fraturas:

Institucional

Na Unoeste, são realizadas diversas ações de inclusão que buscam desde a capacitação do aluno enquanto profissional até a participação social e política na defesa do envelhecimento da população. Estudantes da Unoeste, junto aos docentes, articulam a preparação e execução de programas, projetos e atividades que visam atender essa faixa etária da população nas regiões de Presidente Prudente, Jaú e Guarujá. 

A instituição conta também com cursos de pós-graduação lato sensu em geriatriagerontologia para profissionais que buscam trabalhar diretamente com questões ligadas ao envelhecimento, além de pesquisas desenvolvidas nos programas de pós-graduação stricto sensu em Ciências da SaúdeMeio Ambiente e Desenvolvimento Regional.

Na extensão, ações das ligas acadêmicas e realizações de eventos como os Fóruns do Idoso e Conferência Municipal do Idoso, discutem assuntos para uma melhor qualidade de vida. Além de ações de atendimento do Programa Unoeste + 3ª Idade, que oferta aos idosos informações de cuidado com a saúde, de tecnologia e de lazer.

Residência Multiprofissional

Com atividades desde 2014 em uma parceria da Unoeste com o Hospital Regional de Presidente Prudente (HR), a Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso é voltada a profissionais formados em Enfermagem, Nutrição, Farmácia e Fisioterapia. As ações são desenvolvidas na Rede Básica de Saúde de Presidente Prudente (Estratégia de Saúde da Família, Centro de Referência do Idoso, Programas da Secretaria de Assistência Social), e também na Rede Hospitalar e Especializada (unidades de clínica médicas, cirúrgicas, oncologia, terapia intensiva e instituições de longa permanência para idosos).

Em razão da pandemia, os residentes também estão atuando na linha de frente do combate ao novo coronavírus, em atendimento nas unidades especializadas do HR, integrando o quadro de profissionais que trabalham nos atendimentos aos idosos para a cobertura vacinal da Influenza, apoio à Vigilância Epidemiológica e Sanitária, além de palestras e atividades educativas para outros profissionais e população.

De acordo com Dra. Larissa, que também é coordenadora da residência, a proposta está focada em trabalhar a capacidade funcional das pessoas com mais de 60 anos. “O trabalho visa proporcionar a satisfação com a vida, longevidade, ausência de incapacidade, domínio/crescimento, participação social ativa, alta capacidade funcional/independência e adaptação positiva às mudanças que ocorrem na vida durante todo seu percurso”, destaca.

GALERIA DE FOTOS

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste

Alguma mensagem